Jim Rohn, um dos especialistas em Desenvolvimento Pessoal que eu mais admiro, afirma: “Sucesso é o resultado de pequenas disciplinas realizadas diariamente com consistência ao longo do tempo”.

O que mais me fascina nesta frase é o seu paradoxo, pois ela é extremamente simples e complexa ao mesmo tempo. Simples porque ela afirma que para alcançar o sucesso é só ter um conjunto de pequenas disciplinas – que qualquer pessoa pode desenvolver – e sustentá-lo com consistência ao longo do tempo. Por outro lado, se é tão simples, porque a grande maioria das pessoas nunca vai alcançar uma vida de sucesso? É aí que entra a complexidade e para você conseguir compreendê-la, é preciso que eu fale sobre uma habilidade essencial para o seu planejamento de vida.

Nós, cidadãos do mundo moderno, temos uma forte tendência imediatista, queremos ver o resultado de nossas ações rapidamente, sobretudo os mais jovens – e não há nada de errado em querer fazer com que as coisas aconteçam com velocidade em nossa vida. O problema é que quando isso ocorre em excesso, essa pressa acaba nos cegando e nos impedindo de desenvolver essa habilidade essencial.

Mas qual é, afinal, essa habilidade?

A de saber enxergar o valor das coisas ao longo do tempo. Saber qual será o resultado da nossa conduta no longo prazo. E por “nossa conduta” eu me refiro aos nossos hábitos, nossas atitudes, nossos padrões mentais, as pequenas coisas que fazemos todos os dias… Vamos ver isso na prática para ficar mais claro.

Por exemplo, se você se dedicar à leitura de um bom livro por 15 minutos hoje, dificilmente isso fará alguma diferença na sua vida. Mas é aqui que entra o “pulo do gato”, o despertar que me referi antes… 15 minutos de leitura hoje não farão nenhuma diferença, mas, e se você fizer isso todos os dias nos próximos 12 meses? Que tipo de pessoa você vai ser comparado a sua versão no futuro onde você nunca abriu um livro sequer? Como vai estar sua vida comparada àquela onde você não desenvolveu esta pequena disciplina?

Quer ver outro exemplo? Todos nós podemos reservar pelo menos 15 minutos por dia para brincar, conversar e nos dedicarmos com total atenção aos nossos filhos. Parece pouco? Parece simples? Qual foi a última vez que você desligou o celular e perguntou para o seu filho (a) como foi o seu dia, quais são seus planos, o que ele anda sentindo etc. Da mesma forma, se fizer isso hoje, provavelmente não verá nenhuma diferença. Mas, se fizer disso uma prioridade e sustentar essa pequena disciplina ao longo dos muitos anos de desenvolvimento dos seus filhos, que tipo de relação você terá com eles no futuro? O mesmo vale para o casamento a propósito…

Santo Agostinho, todas as noites, quando ia se deitar, fazia um breve exame de consciência analisando como havia sido a sua conduta durante aquele dia, onde havia falhado e o que pretendia fazer para melhorar no dia seguinte. Simples, não? A parte difícil está no “todas as noites”…

Eu poderia citar vários exemplos aqui como: comer uma fruta por dia, fazer uma oração matinal, caminhar, meditar, planejar o seu dia, investir no seu desenvolvimento pessoal…

Todas essas são coisas simples que estão ao alcance de qualquer pessoa, mas que quase ninguém acaba conseguindo colocar em prática com consistência.

E por que?

Justamente pela falta dessa habilidade essencial que é “saber enxergar o valor das coisas através do tempo”. Sem essa consciência fica muito difícil desenvolver a disciplina necessária. O sujeito pergunta, mas que diferença isso vai fazer?

Hoje, nenhuma. No final da sua vida, toda.

“O sucesso não é nada além de algumas disciplinas simples, praticadas todos os dias; enquanto o fracasso simplesmente são alguns erros de julgamento, repetidos todos os dias. É o peso acumulativo de nossas disciplinas e nossos julgamentos que nos leva ao sucesso ou ao fracasso.” (Jim Rohn)

Gostou? Então, acesse agora: www.paulomachado.com para saber mais.