A importância da Oração em nossas vidas

Hoje eu peço licença para sair um pouco do universo do Desenvolvimento Pessoal para falar de Espiritualidade. Eu sempre fui uma pessoa religiosa, desde pequeno… então, a espiritualidade sempre teve um papel muito importante na minha vida, na minha forma de enxergar as coisas, na minha formação moral… Por isso, resolvi escrever hoje sobre o tema hoje.

Aqui estão, de maneira bem objetiva, 10 questões para você refletir sobre a importância da Oração em nossas vidas (independentemente de qual seja a sua religião):

1. POR QUE ORAR?

Acho que a resposta mais simples e direta que eu poderia dar seria: porque a Oração é o alimento da alma. Assim como nós precisamos dos alimentos para o sustento do nosso corpo físico, também precisamos da oração para sustentar nosso espírito. Se você deixa de comer, seu corpo começa a perecer. O mesmo acontece com o nosso “corpo espiritual” quando deixamos de rezar. Muitas vezes, se você está desanimado, perdido, com um enorme vazio interior, a causa pode estar nessa falta de “nutrição espiritual”.

Além disso, há inúmeros outros benefícios que a oração nos oferece: é um portal para a espiritualidade, um canal de comunicação com Deus, uma forma de meditar e se harmonizar, um exercício de fé, uma busca de amparo, um meio de se purificar etc.

2. QUANDO ORAR?

Não acredito que haja um horário que seja O melhor, mas eu particularmente gosto de rezar logo pela manhã, diante do novo dia que se nos revela. Acho o silêncio da manhã muito convidativo, ainda mais no meu caso que tenho o hábito de acordar bem cedo. Porém, não precisamos nos limitar a rezar apenas pela manhã. Visto que a prece sincera é sempre agradável a Deus, podemos orar antes das refeições para agradecer o alimento, antes de dormir, fazendo um exame de consciência, diante de uma situação difícil etc.

3. AS QUALIDADES DE UMA BOA PRECE

• SEGREDO: Orar em segredo, sem colocar-se em evidência.
• SINCERIDADE: Não é pela quantidade de palavras que somos atendidos, mas pela sinceridade delas.
• PUREZA: A prece a Deus deve vir de um coração puro, sem rancor. “Se tens uma desavença com teu irmão, coloca a oferenda no pé do altar, vai e reconcilia-te primeiro com ele…” (Mateus V: 23-24)
• HUMILDADE: Orar com a humildade do publicano reconhecendo a própria imperfeição.
• REFLEXÃO: Quando fizer algum pedido, refletir antes se o que se pede é justo e se você é merecedor de receber aquilo que está pedindo.

4. MANEIRA DE ORAR?

Não existe uma maneira única, mas deixo aqui uma fórmula pessoal que eu uso e que funciona muito bem para mim. Ela consiste em três etapas:

a) Pedir perdão: Antes de mais nada, como sinal de humildade, pedir perdão. Não de uma forma vaga, mas procurando identificar as falhas específicas que temos cometido e refletindo por que não estamos conseguindo corrigi-las. Além disso, pedir perdão sempre sob a promessa de nos esforçarmos para não repetir os mesmo erros, assumindo um compromisso de redobrar nossos esforços para corrigir nossas imperfeições.

b) Ação de graças: Uma das grandes causas do sofrimento humano é não saber ser grato e apreciar todas as dádivas que possuímos. Aqui, da mesma forma, procurar especificar os motivos pelos quais somos gratos para que não seja um agradecimento vazio. Agradecer a saúde, a família, a casa, o alimento, o trabalho… sempre pensando e se solidarizando com aqueles que não possuem essas graças e encontram-se em dificuldade.

c) Fazer um pedido: Em primeiro lugar, pedir sempre o aprimoramento moral. “Buscai primeiro o reino de Deus…” Quando estamos em elevação espiritual, toda a nossa vida se harmoniza automaticamente. Portanto, este deve ser sempre o ponto de partida e a prioridade número um em nossa vida. Jesus disse: “Buscai e achareis; pedi e obtereis, batei à porta e ela vos será aberta”. Ora, o que mais precisamos para ter confiança de que nossos pedidos, quando dignos e feitos de forma sincera, são sempre atendidos? Por fim, pode-se fazer pedidos específicos sobre algo que seja de necessidade naquele momento, mas sempre curvando a cabeça à providência divina, pois Deus sabe o que é melhor para nós. “Que nossos desejos sejam atendidos conforme a vontade de Deus e não a nossa, pois Ele sabe o que é melhor para nós”.

5. POR QUE NÃO ORAMOS TANTO QUANTO DEVERÍAMOS?

De forma extremamente concisa, a resposta seria: “Por falta de disciplina”. Neste ponto, os muçulmanos, tantas vezes criticados, têm muito a nos ensinar, pois rezam religiosamente não uma, mas cinco vezes por dia. Nos escritórios e locais de trabalho, há sempre um espaço para que eles realizem esse culto – isso quando não vão a alguma das milhares de mesquitas espalhadas nestes países. Como mencionado anteriormente, não é pelo número de vezes que seremos atendidos, mas isso também não pode nos servir de desculpa para sermos omissos e achar que poucas palavras são suficientes. Quando nos disciplinamos e criamos um hábito, a oração passa a fazer parte de nosso dia-a-dia, não como uma obrigação que se cumpre maquinalmente, mas como um prazer que não conseguimos ficar sem.

6. POR QUE PARA MUITAS PESSOAS ORAR PARECE ALGO CHATO?

Por vários motivos, mas acredito que o principal deles é simplesmente porque não sabem orar. O que fazem é repetir meras fórmulas que não lhes tocam o coração, mas que o realizam por uma pressão que vem de fora. Neste caso, o melhor que se pode fazer é parar, rever seus conceitos e reaprender como rezar, ao invés de continuar seguindo por esse caminho tortuoso que pouco ou nenhum benefício lhes traz. Como eu li em um livro:

 

“Quase todos oram, mas muito poucos sabem orar! De que vale simplesmente juntar algumas frases, sem compreender o seu verdadeiro significado, repetindo-as maquinalmente por hábito como um dever que nos pesa?”

 

7. O QUE FAZER QUANDO NÃO SENTIMOS A MENOR VONTADE DE REZAR?

Várias pessoas se deparam constantemente com essa situação. O melhor remédio neste caso é, mais uma vez, a disciplina. Ao invés de rezarmos esporadicamente, criemos o hábito de orar sempre em um mesmo horário de forma que a nossa mente esteja habituada e inconscientemente já preparada.

8. POR QUE É TÃO DIFÍCIL SE CONCENTRAR NA ORAÇÃO?

Quantas vezes começamos: “Pai nosso que estais nos céus, santificado seja…” e quando nos damos conta, já estamos pensando no trabalho, no que vamos fazer depois, nos problemas etc. Daí retomamos, … “O Pão nosso de cada dia…”, porém a mensagem já se diluiu e estamos novamente apenas cumprindo um ritual estabelecido. A concentração é uma técnica e, como toda técnica, deve ser praticada constantemente para se atingir um alto nível. Portanto, devemos dar o devido valor à concentração e exercitá-la sempre que possível. Errou ou se dispersou no meio da oração, recomece e preocupe-se sempre em estar concentrado, por mais cansativo que lhe pareça inicialmente.

Além disso, é importante que, no momento da prece, nossa mente esteja livre. Portanto, o ideal é estar em um lugar calmo, sozinho, sem ser incomodado. O ambiente deve ser convidativo e propício à prática. Outro fator importante é a posição. Não existe uma posição correta para rezar, mas quando estamos deitados, por exemplo, podemos sentir uma certa sonolência (principalmente antes de dormir) que certamente será prejudicial à oração. Uma sugestão pessoal é se ajoelhar, pois, além de evitar o convite ao sono, é uma posição que demonstra humildade, nos mantem concentrados e não à toa, é a forma que mais aparece na Bíblia.

9. A IMPORTÂNCIA DE IR À MISSA, AO CULTO… 

Há pessoas que dizem: “Eu não vou à missa porque rezo em casa…”. O grande problema é que, na maioria das vezes, esta é só uma desculpa para justificar a falta de disciplina e comprometimento da pessoa em dedicar UMA das 168 horas que existem em uma semana para se dedicar a Deus. Dificilmente você terá em casa um ambiente tão propício à prece quanto em uma igreja, um templo. Por isso, por mais que você tenha o hábito de rezar todos os dias em casa, é muito importante reservar um momento na semana para estar em uma comunhão mais profunda com Deus, seja na Igreja, no Templo, no Centro Espírita, no Terreiro, na Sinagoga, na Mesquita…

10. DESAFIO

Procure pensar nas pessoas mais felizes que você conhece. Aquelas que têm uma boa vida, estão sempre sorrindo, possuem muitos amigos etc. É bem provável que a grande maioria delas sejam pessoas vivam uma vida de oração. Portanto, proponha o seguinte desafio a si mesmo: “Rezar, pelo menos 3 vezes ao dia, seguindo todos os princípios acima mencionados por uma semana”. É apenas por uma semana, não custa tentar. Você irá constatar por si só o valor que a oração pode ter na sua vida.

Clique AQUI para baixar os slides desta Palestra.

Faça Agora o Download da Amostra doLivro

Um Guia de Coaching e Desenvolvimento Pessoal Compilados em 10 Princípios Universais para você Transformar sua Vida (Começando Agora Mesmo) e Alcançar o Sucesso.

Pronto! Pode ir lá no seu e-mail para encontrar o link para Download.