Ótimo, você decidiu que seu negócio precisa de um site, um endereço virtual para deixar sua empresa registrada na internet e divulgar seu catálogo de produtos, conquistar mais clientes, publicar matérias sobre o mercado em que atua no blog. Quem sabe algo mais complexo como um e-commerce. De qualquer forma, você precisa de algo para representar-lhe na web.
Já era tempo de tomar esta decisão, mas precisamos considerar alguns passos importantes antes de criar sua página web. Vejamos o que devemos considerar.

Dica 1 – Verifique os domínios

Verifique se o endereço eletrônico desejado já não foi registrado por outro. Verifique no Registro.br, faça algumas consultas, tenha algumas opções secundárias caso houver algum problema, a solução já estar na manga. E se ainda estiver disponível e for certeza, registre logo.

Dica 2 – Identidade

Você ou sua empresa já possui alguma identidade? Um logotipo?  Se sim, ótimo. Esperamos que ela transpareça suas as qualidades, valores e diferenciais. Se não ainda tiver, pense no que poderia ser utilizado para reforçar seus diferenciais mercadológicos junto de seu nome. Tudo isso já será uma ótima informação para quem for construi-la.

Dica 3 – Defina qual será o objetivo

Procure definir bem qual será a finalidade do site e qual será estrutura. Para quem quiser vender um catálogo inteiro de produtos, pense num e-commerce; para outro que quiser apenas divulgar seus serviços, com informações institucionais e formulário de contato, pense num site institucional direto; se quiser algo mais dinâmico, fácil e rápido de atualizar, pense numa página administrável ou até mesmo um sistema mais simplificado, como um blog; quem quiser um site com mais interatividade, maior impacto através de recursos visuais, animações diversas, pense em um site em flash. São diversas opções para qualquer necessidade. Com certeza a agência contratada irá te ajudar a decidir o que será melhor. Mas não custa adiantar o processo. Pense nisso, pois será um passo importante para definir um cronograma e orçamento.

Dica 4 – Organize-se

Não esqueça do conteúdo. Define já o que será colocado. Junte as imagens, textos, descrições, produtos. Organize-os. Você divide a responsabilidade na hora de cumprir o cronograma junto da agência contratada.

Dica 5 – Procure referências

Veja outros sites, como por exemplo o da sua concorrência. O que eles já fizeram na web? Que tipo de página e diagramação eles têm e qual você poderia querer e tornar-se diferente deles? São suas referências que darão o start na hora de pesquisa, desenvolvimento e criação do layout pela agência.

Dica 6 – Conheça seu fornecedor

Tudo definido e nada acertado. Quem é aquele cara primo do seu amigo que vai fazer o seu site? É imprescindível que conheça a pessoa ou empresa que irá criar e programar seu site. Veja suas referências de trabalhos, sites e logotipos. Qualidade custa mais, não há mágica. O barato pode sair caro quando precisar refazer o trabalho. E pior, quando você precisar achar seu webmaster para solicitar aquela melhoria desejada ou apenas uma atualização, pode não encontra-lo mais.

Dica 7 – Google Analytics

Exija no orçamento a ferramenta Google Analytics. Não sabe o que é? O Google oferece uma ferramenta gratuita para registrar o fluxo de acessos, os keywords (palavras-chave) usados na hora de buscar sua página no buscador, filtra as diferentes regiões geográficas que acessaram seu site, mostra até qual resolução de monitor os usuários usavam quando acessaram sua página. E isso é quase nada perto de tudo o que é oferecido nesta ferramenta. Mas tudo isso é super importante para poder acompanhar a evolução de acessos e traçar novas estratégias.

Dica 8 – Atualize seu site

Não pense que o trabalho acabou depois de site terminado. Pense em novas atualizações de conteúdo, novas fotos, descrições de produtos e formas de suporte. Toda atualização acaba sendo importante mesmo sendo puramente visual.  Tudo isso dá movimento e incentiva o acesso. Se fizer um site que não for atualizado nunca, não servirá para muita coisa e o investimento cairá por terra.
De forma geral estas são dicas importantes que ajudarão no desenvolvimento do projeto, seja ele grande ou não. Mas de qualquer forma, a parceria formada com a agência contratada deve ser levada em consideração na hora do desenvolvimento. Tudo que for relevante ao projeto deve ser dito, conversado e analisado por ambos os lados para decidir-se qual será a melhor saída, tanto técnica quanto estética. E caso persista alguma dúvida, fique à vontade para entrar em contato conosco.

Gostou? Então, acesse agora: www.paulomachado.com para saber mais.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.