Posts

É impossível alcançar o sucesso sem saber se relacionar com outros. Ponto. O seu nível de sucesso está diretamente relacionado com a sua capacidade de se relacionar bem com as pessoas. Ou se não, com a sua capacidade de influenciar/liderar/persuadir as pessoas.
Quantos profissionais você já viu que, apesar de serem tecnicamente muito competentes, não foram adiante por não saberem se relacionar e quantos você já viu que, apesar de pouco conhecimento técnico, chegaram muito longe justamente por saber se relacionar e influenciar os outros?
Indo mais adiante, podemos afirmar que um bom relacionamento também é fruto de alguns princípios bem definidos (Causa e Efeito).
Além disso, não é uma questão apenas de como se relacionar, mas também de com quem você se relaciona.
E aqui, mais uma vez, eu o convido a pensar em uma pessoa de sucesso e uma pessoa fracassada. Agora, observe o círculo de relacionamentos de cada uma delas e perceba a enorme diferença que há entre as duas, pois esse é um fator que exerce grande influência em nossa vida.
Por isso, esteja muito atento às pessoas com as quais você se cerca. O seu nível de sucesso geralmente é parecido com o daqueles com quem você convive.
Saber se relacionar bem com as pessoas, mais do que qualquer conhecimento técnico, é uma das habilidades mais importantes para que você consiga alcançar o sucesso na vida.
E eu iria mais longe ainda em dizer que, quanto mais você sobe na escada profissional e mais cresce pessoalmente, menos o seu sucesso irá depender dos seus conhecimentos técnicos e mais de habilidades, como saber se comunicar, liderar, influenciar e lidar com pessoas.
Entretanto, apesar de serem essenciais, infelizmente não aprendemos essas habilidades na escola ou na universidade.
 

Um livro divisor de águas…

Observando essa suposta lacuna no sistema de ensino, um norte-americano chamado Dale Carnegie escreveu, em 1937, um dos maiores clássicos do Desenvolvimento Pessoal, a obra Como fazer amigos e influenciar pessoas, que já vendeu mais de 50 milhões de cópias desde seu lançamento e foi eleito o 19º livro mais influente de todos os tempos segundo a Time Magazine.
Warren Buffett, bilionário norte-americano, fez o curso quando tinha 20 anos e até hoje mantém o diploma em seu escritório.
Nesse livro, há lições preciosas que você pode começar a aplicar imediatamente e, assim, começará a constatar por si mesmo o efeito instantâneo que elas terão em sua vida.
Aqui está a base de algumas delas.

  1. Se você quer tirar mel não bata na colmeia

Não critique, não condene e não reclame. Faça o desafio de passar uma semana sem criticar, condenar e reclamar de nada e veja como você começa a perceber as coisas que nos ocorrem de uma maneira diferente.
Além disso, faz parte da natureza humana se ofender e rejeitar qualquer tipo de crítica recebida. Em vez de buscar ouvir e entender por que somos criticados, a nossa tendência natural é a de nos fecharmos e nos esforçarmos ainda mais para nos defender e apresentar justificativas à crítica.
Criticar não gera nenhum bem ou transformação positiva. Ao contrário, gera apenas mágoa e ressentimento. Uma relação assim não é sustentável e um exemplo claro disso é o filho adolescente que não escuta mais os pais porque a “ponte” da comunicação entre eles ruiu de tão desgastada e agora as críticas já não surtem mais qualquer efeito.

  1. O grande segredo em lidar com as pessoas

Uma das maiores motivações dos seres humanos é o desejo de se sentir importante e reconhecido. Quer fazer alguém gostar de você, faça com que essa pessoa se sinta importante!
Ralph Waldo Emerson disse: “Toda pessoa que eu encontro é superior a mim em alguma coisa e nisso eu posso aprender com ela”.
Procure algo que você sinceramente admira ou respeita em seu interlocutor e faça com que ele se sinta valorizado por aquilo.

  1. Faça isso e será bem recebido em qualquer lugar

A melhor forma de fazer alguém gostar de você é mostrando-se genuinamente interessado por ela. Isso vale mais do que todas as técnicas de vendas que qualquer um poderia lhe ensinar.
Fale menos e pergunte mais! As pessoas adoram quando você demonstra um interesse sincero por elas ao passo que ninguém gosta daquele que só fala de si.
Para colocar de uma maneira bem simples e direta, descubra rapidamente quais são os interesses da outra pessoa, encoraje-a a falar sobre ela mesma e cale-se. Pratique a escuta ativa (quando você se esforça para prestar atenção), que automaticamente você irá gerar empatia com seu interlocutor. Você irá constatar que as pessoas estão muito mais interessadas em falar sobre si mesmas do que em escutar o que você tem a dizer.

  1. O som mais bonito do mundo

Você sabe qual é o som mais bonito do mundo? Aquele que é o mais agradável aos ouvidos de qualquer pessoa? É o som do seu próprio nome! Faça a experiência. Pegue um restaurante aonde vai com frequência e comece a perguntar e chamar as pessoas pelo nome. Você vai ver o efeito que isso terá na maneira como elas irão tratá-lo. Chamando pelo nome você demonstra consideração pela pessoa.
Comece a prestar atenção nisso, coloque esse hábito em prática por onde passar e perceba como uma atitude tão simples e sutil pode ter um efeito tão grande.
 

Como se tornar uma pessoa agradável

Sabe quando você conhece uma pessoa e logo se dá bem com ela? Por algum motivo, que você não sabe explicar qual exatamente, ela simplesmente lhe é agradável.
Da mesma forma, você provavelmente já foi apresentado a alguém e, poucos instantes depois, mesmo sem conhecê-lo direito, começou a sentir uma antipatia natural?
Por que isso ocorre?
Por causa de uma coisa chamada rapport (vínculo, relação, em francês) ou, no segundo caso, da falta dele. Saiba que tão ou mais importante do que o que você fala é como você fala.
Essa dica vale especialmente para vendedores, mas, mesmo que você não trabalhe diretamente com vendas, com certeza poderá aproveitar também. Afinal, as habilidades de um bom vendedor (saber convencer, influenciar, persuadir) são importantes para o sucesso de qualquer pessoa.
Então, uma das técnicas mais reconhecidas para “se tornar agradável” instantaneamente aos olhos de outra pessoa é a do “espelhamento”, conhecida como mirroring em inglês.
Como funciona? Consiste em fazer uma rápida análise do perfil, de preferência buscando informações previamente quando for possível e, a partir disso, se espelhar na sua maneira de agir.
Se ela é muito formal, seja muito formal. Se ela é bastante objetiva, seja bastante objetivo. Se ela é rápida, seja rápido. O mesmo vale se ela for reservada, despojada, técnica, calorosa, informal…. Isso requer treino e habilidade.
Adapte-se a ela. Procure também sintonizar com seu tom de voz, volume, linguagem corporal etc.
Isso significa que você tem que perder sua autenticidade? De forma alguma! Este é apenas um esforço legítimo que você faz para buscar entrar em sintonia com essa pessoa para que a comunicação flua melhor e, é claro, para criar rapport.
O nosso cérebro tende a gostar de pessoas que são como nós (ou como gostaríamos de ser) e a repelir aquelas que agem muito diferente.
 
Em relação ao próximo capítulo, não posso dizer que há um tema mais importante que o outro porque são interdependentes, mas se tivesse que escolher um como o principal com certeza seria ele.
A frase de abertura que você irá ler resume toda a filosofia sobre a qual o meu trabalho se apoia.
(Continua…)

Saiba mais em: www.paulomachado.com
Se gostou, compartilhe…

Aqui está uma dica de leitura do meu caro amigo Prof. José Pio Martins, Reitor da Universidade Positivo: Poder e Manipulação: Como entender o mundo em 20 lições extraídas de O Príncipe, de Maquiavel.
 

O Segredo da Vida

“Um dos segredos da vida é compreender que, acima de tudo, ela é um jogo e que as chances de vencer serão muito pequenas se não conhecermos as regras desse jogo.
Mas há algo estranho: ninguém nos ensina essas regras. Nossa educação vive em uma cultura morta e ultrapassada que insiste em explicar infinitamente a Revolução Francesa, a tabela periódica, os motivos que levaram à descoberta da América, o princípio de Arquimedes, a teoria da evolução e assim por diante.
Passamos entre dez e quinze anos na escola e não aprendemos a enfrentar as batalhas diárias da vida de maneira prática, objetiva e realista.”

Uma habilidade essencial

“Por isso, desenvolver a habilidade de entender o que de fato motiva as pessoas e saber lidar de maneira adequada com essa compreensão é a lição mais importante que você pode aprender no jogo da vida.”
Nossa tendência habitual é reagir a tudo com base nos valores pessoais que cultivamos. Tudo o que estiver de acordo com a nossos valores pessoais, nós consideramos bom, e o que não estiver, consideramos ruim. No mundo do poder e dos negócios, isso é quase sempre um erro terrível porque:
Ao julgarmos tudo de acordo com nossos valores pessoais cometemos o erro de pensar que todos cultivam os mesmos valores que nós e suas ações sempre estarão de acordo com os valores delas, não com os nossos.”
Jacob Petry, “Poder e Manipulação
Link para comprar o livro: http://a.co/d/35WTxBh


 
Paulo Machado trabalhou por vários anos ligado à ONU, aprendeu 5 idiomas, viajou por quase 30 países, morou no Canadá e na Itália, onde trabalhou com o grande jogador de futebol Clarence Seedorf no Milan. Hoje dedica-se à área de Desenvolvimento Pessoal ajudando pessoas e empresas a crescerem.
Se quiser conhecer mais sobre mim e o meu trabalho, é só acessar: www.paulomachado.com