O Preço que Você Paga por Viver no Modo Automático

2018-05-09T10:03:15+00:00

Você já percebeu que vivemos sob um grande feitiço? Que feitiço é esse? Nós vivemos em um “modo automático”. Grande parte de nossas decisões diárias são inconscientes. Nossas ações quotidianas são meras repetições dos mesmos padrões de sempre que criamos na estrutura da nossa vida atual.

O problema disso é que acabamos caindo em uma grande armadilha: nós não percebemos o tempo passar… vivemos sugados à inércia do dia a dia sem nunca pararmos para refletir mais profundamente e planejar nossa vida. E aí o que acontece? Corremos o risco de “acordar” um belo dia lá na frente perceber que a vida passou e tudo aquilo que gostaríamos de ter feito, tudo aquilo que poderíamos ter nos tornado agora ficou para trás…

Como escreveu o grande poeta gaúcho radicado em Porto Alegre, Mário Quintana, em seu poema “O Tempo”:

“Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais…

(adaptado)

Eu acho que esta é a pior sensação que alguém pode ter… chegar lá na frente e perceber que você viveu muito aquém do que realmente era capaz agora é tarde demais para fazer alguma coisa….

E quer saber se você corre o risco de chegar lá na frente assim? Quer saber se você também vive nesse modo automático? É só se perguntar qual foi a última vez que você parou para organizar sua vida, planejar seu futuro, definir exatamente aonde quer chegar… E eu não ficaria admirado se você me dissesse que nunca parou para fazer essas coisas. Infelizmente essa é a realidade para a grande maioria.

Só que aí eu te pergunto: qual é a chance de você também terminar como a maioria, com uma vida mediana? Afinal, qual é a probabilidade de você chegar aonde quer se você nem sabe onde fica esse lugar? Como você pode acertar um alvo que não enxerga, ou pior, um alvo que não existe?”

Mas então tá… vamos supor que você tenha se dado conta que, assim como a maioria, você também é prisioneiro deste feitiço, vive no modo automático, e que isso pode custar muito caro lá na frente – e pior, de maneira irreversível. A grande questão que surge, então, é: como fazer para quebrar esse feitiço e mudar esse destino (enquanto ainda há tempo)?!

A chave está em…

(continua na próxima semana…)

Se você quer buscar essa reflexão, definir exatamente aonde quer chegar com a sua vida, escreva para contato@paulomachado.com que eu vou te mandar um material que vai mostrar passo a passo o que você tem que fazer para transformar a sua vida a partir de agora.