Em determinado momento da minha vida, eu cheguei a um patamar onde estava bem financeiramente, digamos o suficiente para proporcionar uma vida razoavelmente segura e confortável para minha família.
Então, a partir daquele ponto, eu decidi que não iria querer ganhar mais dinheiro do que já ganhava, pois, para isso, eu teria que me dedicar mais ao trabalho e consequentemente menos à família.
Isso feria os meus valores, pois, para mim, a família sempre foi o meu maior tesouro, aquilo que eu julgo ter de mais precioso, então, não poderia deixar o trabalho invadir esse espaço.
Lembro que na época, vinham-me flashes daqueles executivos de São Paulo trabalhando 14 horas por dia, imagens de casamentos ruídos, de pais arrependidos que não viram seus filhos crescerem… e isso me assustava. Eu tinha clareza de que essa não era a vida que eu queria ter.
Orgulhoso, então, da minha decisão de ter colocado a família em primeiro lugar, eu nem percebi que estava caindo em uma grande cilada, provavelmente a maior armadilha para o crescimento de qualquer pessoa.
Quando decidi adotar aquela postura, eu criei uma barreira artificial e ilusória que na hora limitou o meu crescimento. Eu criei uma Crença Limitante.
Mas a decisão não foi nobre? Foi sim. E é aí que mora o perigo. Muitas vezes a Crença Limitante vem disfarçada de algo nobre. No meu caso, foi colocar a família acima do trabalho. E a propósito, a família é sim mais importante que o trabalho para mim, mas a questão não é essa…
Eu percebi isso quando um Coach nos Estados Unidos me perguntou: “Paulo, e onde está escrito que para você ganhar mais dinheiro você precisa se dedicar menos a sua família?”. Na hora, eu fiquei sem reação. Como pode uma simples pergunta quebrar instantaneamente uma crença que eu carregava?
E essa é a boa notícia… o seu maior sabotador, o seu pior inimigo, aquele que mais impede que você cresça, pode ser destruído em um único instante.
A partir do momento que eu me livrei dessa crença eu não só passei a ganhar mais como também hoje posso dar ainda mais atenção a minha família do que na época.
Como isso aconteceu? De repente, novas oportunidades surgiram do dia para a noite? Não, elas já estavam lá, ao meu alcance, mas, por ter sido cegado pela minha própria Crença Limitante, eu era incapaz de enxergá-las.
Isso acontece porque o cérebro só visualiza as coisas nas quais você concentra seu foco. Todo o resto é ignorado deliberadamente. Por isso foi necessário um estímulo externo (o Coach nos EUA) para quebrar essa crença, pois esse é o tipo de coisa que você não para para se questionar no dia a dia.
A partir daquele estímulo, eu comecei a me fazer perguntas mais inteligentes. Em vez de pensar: “Mais dinheiro = menos família”, eu pensei: “Como posso ganhar mais dinheiro e ainda me dedicar mais à família?”
Com as novas perguntas, meu cérebro foi obrigado a fornecer novas respostas e as coisas foram aparecendo…
É claro que dificilmente você vai conseguir criar uma empresa de sucesso ou chegar longe na carreira trabalhando das 9 às 17. Mas o ponto aqui é que, livrando-se das suas Crenças Limitantes, você começará a enxergar maneiras mais inteligentes para equilibrar as coisas e chegar aonde você quer.
Quer ver outros exemplos?

  • “Meu marido é meu carma, é missão ajudá-lo, pois ele precisa de mim.”
  • “Quando eu … (me casar, me aposentar, mudar de carreira etc.), serei feliz.”
  • “Não tenho tempo para … (mim, cuidar da saúde, ler, namorar etc.).

Perceba como estas crenças aprisionam as pessoas – muitas vezes durante uma vida inteira – tornando-as impotentes para agir e condenando-as a um destino infeliz.
Por isso, eu gostaria de convidar você a aproveitar esta oportunidade, o estímulo externo que estou lhe oferecendo, para fazer a seguinte reflexão: “Qual Crença Limitante venho carregando que está impedindo meu crescimento?”.
Se você gosta de pensar estrategicamente, pense com a lógica neste instante. Qual é o pior que pode acontecer se você parar agora 5 minutos para pensar seriamente sobre isso? Você terá perdido 5 minutos que provavelmente seriam gastos no Facebook de qualquer maneira. Em contrapartida, qual é o ganho em potencial da oferta, mesmo que você acredite que a chance seja pequena (e ela não é!)? Quebrar uma ilusão capaz de transformar sua vida e livrá-lo de um destino infeliz? Qual é o preço disso? Tendo lido até aqui, não seria um grande erro deixar passar esta oportunidade?

“Daqui a um ano você vai desejar ter começado hoje.” (Karen Lamb)


Gostou? Então, acesse agora: www.paulomachado.com para saber mais.
 

Published On: julho 4th, 2016 / Categories: Blog / Tags: , , , /

Faça parte do meu Mailing

Receba em primeira mão os novos artigos, vídeos, novidades e muito mais…

    100% Seguro | 0% Spam