Tenho refletido sobre alguns argumentos daqueles que são em favor do aborto, mas sinceramente eles só fazem eu ter ainda mais convicção de que é errado. Aqui estão os melhores argumentos pró-aborto que encontrei e por que não concordo com nenhum deles:

  1. É direito da mulher fazer o que quiser com o seu corpo.

    Concordo. Com o seu corpo. Tanto que não há nenhuma lei que a impeça de se mutilar se ela quiser. Porém, aqui não estamos falando do seu corpo, mas de uma vida que ela gerou e que é incapaz de se defender por si mesma.

  2. Uma questão religiosa não pode se sobrepor em um estado laico

    Mesmo que você tire totalmente a questão religiosa da discussão, o princípio continua o mesmo. Aqui não estamos falando de crenças ou religião, mas de um princípio de proteção à vida.

  3. Isso é para proteger as gestantes de abortos clandestinos

    Aqui a questão é mais delicada. Realmente essas jovens (muitas vezes crianças) devem ser protegidas de abortos clandestinos, mas não acredito que esse seja o caminho. Primeiro, essa vida é gerada a partir do ato consciente de duas pessoas (falarei depois sobre o caso de estupro). A gravidez indesejada muitas vezes não é fruto de falta de informação ou acesso a métodos anticonceptivos, mas de inconsequência e falta de estrutura psicológica. E, por fim, acredito que essa ‘proteção’ poderá aumentar ainda mais a irresponsabilidade de adolescentes e banalizar o valor de gerar uma vida. E, a propósito, o dia que você quiser entender esse valor, pergunte a alguém que quer ter um filho e não consegue.

  4. Você só está preocupado com que ele nasça e não com a vida que ele vai ter

    Esse tipo de mentalidade é a mesma que prega que para eliminar a pobreza, deve-se eliminar os pobres. Então, todos os filhos de miseráveis, de pessoas com o país em guerra, também aqueles que têm deficiências deveriam ser eliminados. Quem vai ser o juiz de cada caso para determinar se vale a pena exterminar esse feto diante da possibilidade de vida que ele vai ter?

  5. Um feto antes de 3 meses ainda não é uma vida

    Quando começa a vida? Quem pode ser o juiz para determinar o momento exato? Portanto, parto do princípio de do momento em que se forma o zigoto, dá-se início a um processo que, se não for interrompido, irá gerar um ser. A partir do momento que você, de maneira deliberada, interrompe esse processo, você está eliminando essa vida. Olhando sob essa ótica, que diferença faz tirar a vida do bebê no terceiro mês ou no quarto, ou no nono? O processo interrompido é o mesmo, apenas acontece em épocas diferentes.

  6. Aborto em caso de estupro

    Existe um filme chamado “O Quarto de Jack”. Não quero estragar a história, mas sugiro que assistam para ter uma profunda reflexão sobre esse caso específico.

  7. Risco de vida para a mãe

    Na época das Paraolimpíadas do Rio 2016, passou a história de uma esgrimista de cadeira de rodas que ficou paraplégica por causa da gravidez. Foi dada a ela a oportunidade de interromper devido ao risco de vida e outras complicações. Ela, com seu verdadeiro amor de mãe, não pensou duas vezes, decidiu na hora que, não importasse o que pudesse acontecer com ela, levaria a gravidez até o final. Hoje, possui uma relação única e especial com sua linda filha que já está na adolescência. Pense quantas memórias felizes ela construiu com sua filha que nunca existiriam se ela tivesse optado por abortar. Foi uma escolha pessoal dela. E essa é uma escolha muito difícil mas que só cabe a própria mãe fazê-la.

Se você é pró-aborto, reflita sobre essas questões assim como eu procurei refletir sobre os argumentos acima. E se tiver outros argumentos, fique à vontade para incluí-los nos comentários. E se você também é contra o aborto, compartilhe essa mensagem.

Gostou? Então, acesse agora: www.paulomachado.com para saber mais.

Published On: dezembro 2nd, 2016 / Categories: Blog / Tags: /

Faça parte do meu Mailing

Receba em primeira mão os novos artigos, vídeos, novidades e muito mais…

    100% Seguro | 0% Spam