Posts

O pequeno Tai estava na fila do caixa do supermercado enquanto sua avó comprava alguns bilhetes de loteria. Tentado, ele pediu a ela: “Vovó, a senhora compra um para mim?”. Ela estava de bom humor e resolveu atender ao pedido, afinal custava apenas 1 dólar.

Quando ele raspou, mal pôde acreditar. Havia sido premiado com 100 dólares, uma fortuna para ele na época! Pegou o dinheiro e comprou uma bicicleta que pouco depois seria roubada. É estranho como parece que aquilo que “vem fácil, vai embora fácil também”. Como diz um velho ditado Amish: “Uma cerca que é levantada rapidamente, cai rapidamente também”.

Passado um tempo, a família, que havia economizado um pouco aquele ano, resolveu dar um presente especial de Natal a Tai pelo seu bom comportamento aquele ano. Eles disseram: “Tai, você pode escolher o que quiser até 200 dólares.”. Depois de refletir por um instante, Tai pensou: “Se eu consegui 100 dólares em um bilhete premiado entre outros 10 que a vovó havia comprado, quanto não poderia ganhar se comprasse 200 bilhetes?!”

Como a família havia prometido que ele poderia comprar o quisesse, todos tiveram que cumprir o combinado. No dia de Natal, ali estavam os 200 bilhetes de loteria e Tai começou a raspar com um entusiasmo um a um. Entretanto, este entusiasmo foi aos poucos sendo apagado. Ao final, ele havia conseguido apenas 15 dólares com os 200 dólares investidos. Mas aquele episódio lhe ensinou uma precisa lição que ele guardaria por toda a vida: “O sucesso não tem nada a ver com a loteria.”

Essa imagem de sucesso instantâneo está estampada nas capas de revistas. Elas nos induzem a acreditar que este é o caminho, pois só retratam o momento de glória daquelas pessoas e não tudo que tiveram que passar para chegar lá. Os exemplos são os mais diversos:

  • O cantor inspirado grava aquele hit de sucesso e fica famoso
  • O empreendedor que tem uma ideia genial e fica milionário
  • A mulher está distraída no café e encontra o amor da sua vida
  • A pessoa acima do peso encontra a dieta milagrosa que a coloca em forma

Esta é uma grande ilusão, pois o sucesso nunca acontece da noite para o dia. O sucesso se parece mais com um bloco de mármore bruto que você recebe e tem que esculpir a obra da sua vida, pedaço a pedaço, todos os dias. Algumas vezes você vai ter cometer erros e terá que colar as peças novamente, outras você irá avançar mais rapidamente. Mas não adianta bater mais forte e quebrar a pedra em duas para acelerar o processo. Não funciona assim.

Bill Gates começou a programar com 14 anos e só chegou ao sucesso aos 30 e poucos anos sem nunca ter tirado um dia sequer de folga. Warren Buffett começou a trabalhar aos 7 e só se tornou bilionário aos 57, meio século depois, trabalhando arduamente e com inteligência dia após dia.

O pior é que muitas pessoas creem nesta ilusão e passam anos e anos, às vezes uma vida inteira, esperando aquela tacada de sorte, a bala de prata, a solução fácil que irá resolver todos os seus problemas instantaneamente. Não é a toa que tantas pessoas jogam na loteria, alguns inclusive torram valorosas somas que poderiam estar sendo poupadas para construir um futuro de sucesso, tijolo a tijolo.

Eu também tive um tanto dessa ilusão, achei que começaria com uma palestra fenomenal, um treinamento revolucionário, um programa de Coaching matador, mas a realidade foi bem diferente. Os primeiros não foram bons, nem os segundos… mas as poucos, eu fui melhorando, aperfeiçoando, errando, consertando, progredindo até um ponto que tivesse confiança no valor daquilo que eu estava oferecendo. É claro que hoje procuro melhorar cada vez mais, esse processo nunca acaba.

Pouca gente sabe esta história, mas Sam Walton, o fundador do Walmart, a maior empresa do mundo, foi preso no Brasil e passou uma noite na cadeia. O motivo? Os policiais acharam que se tratava de um louco, pois ele ficava agachado se esfregando em várias lojas. Foi aí que as pessoas que estavam hospedando o bilionário chegaram e conseguiram esclarecer o mal entendido. Sam Walton estava com uma fita métrica medindo as distâncias dos corredores nas lojas brasileiras. Queria ver se havia algo que ele não soubesse, estava procurando aprender aqui. Ele, o dono da maior empresa do varejo no mundo, buscando aprender conosco, cada vez mais. Se ele tinha esse nível de humildade, imagina o nível que nós devemos ter, então.

O sucesso é construído tijolo a tijolo, como se estivéssemos esculpindo o mármore, aos poucos, errando, corrigindo. O Davi não estava pronto para Michelangelo, foi uma vida inteira para conseguir chegar aquele nível.

Portanto, fica a reflexão, uma vida bem sucedida não será fruto de uma tacada de sorte. Fuja desta ilusão. Esta mentalidade oportunista irá condenar você a uma vida de frustração. Procure melhorar 1% a cada dia e lembre-se: mais importante que a velocidade é a consistência.

Gostou? Então, acesse agora: www.paulomachado.com para saber mais.