Posts

Hoje eu vou contar a você uma história incrível… Você sabe como surgiu o filme Rocky? Conheça agora tudo que Sylvester Stallone teve que passar para realizar o seu grande sonho…
Os problemas na vida de Sylvester Stallone, ou Sly, como é conhecido nos EUA, começaram desde o seu nascimento. Seu parto teve graves complicações e o médico teve que usar um fórceps – o que o deixou para sempre com uma paralisia facial. Já reparou que ele tem a boca e o olho meio caídos de um lado? Isso posteriormente acabou até sendo uma característica da sua marca.
Aos 16 anos, por não conseguir se concentrar nas aulas, abandonou os estudos e foi trabalhar com a mãe em um salão de cabeleireiros. Aquilo era só temporário, porque ele tinha muito claro qual era o seu verdadeiro sonho: trabalhar com cinema!

O primeiro trabalho no cinema

Os anos foram passando, ele tentou diversos papéis, mas nunca o aceitavam. Até que um dia, passou a noite na frente do estúdio e disse que não sairia enquanto não lhe dessem uma oportunidade. O diretor, com pena daquele rapaz tão determinado, resolveu dar a ele uma ponta de 20 segundos em um filme (ele era um bandido que apanhava). Este foi seu trabalho no cinema.
Resultado de imagem para young sylvester stallone
Apesar desta pequena vitória, as dificuldades só aumentavam. Ele estava sem emprego e sem dinheiro para pagar sequer a calefação do seu apartamento.
Totalmente quebrado, um dia ele resolveu ir à biblioteca pública para se aquecer e alguém havia deixado um livro sobre a mesa. Ele começou a ler sem parar e pegou gosto pelas palavras. Saiu dali e escreveu o seu primeiro roteiro, o qual conseguiu vender por 100 dólares. Uma fortuna para ele!

O dia mais difícil de sua vida

Nesta época, ele já era casado, mas seu relacionamento com a esposa não era nada amoroso. Quem ele mais amava no mundo na verdade era o seu cachorro: Buktus. O problema é que ele não tinha dinheiro para alimentá-lo. Então, em uma noite de desespero, ele tomou uma atitude drástica…
Foi até uma loja de bebidas e ficou na frente tentando vender seu cachorro por 50 dólares. Um homem acabou negociando em comprando-o por 25. Stallone conta que este foi o dia mais triste da sua vida… Ele chorou a noite inteira.

O grande insight

Vagando sem rumo, ele parou em um bar onde estava passando a luta de boxe entre Ali x Wepner e o que mais chamou sua atenção não foi a performance de Ali que estava no seu auge, mas a de Wepner que mesmo sendo terrivelmente massacrado não desistia, continuava seguindo em frente na luta como um guerreiro. Neste momento, ele teve um insight que mudaria para sempre sua trajetória…
Resultado de imagem para ali vs wepner
Ele disse: “É isso! Já tenho a minha história…”. Naquele mesmo instante ele voltou para casa e escreveu por 20 horas seguidas todo o roteiro de Rocky, de uma vez só! Com o tesouro da sua vida em mãos, foi até os estúdios da época para tentar vender o filme.
Recebeu dezenas de “nãos”. Os produtores caçoavam dele dizendo que a história era ridícula, piegas, previsível… Ele anotou tudo e fez questão de ler cada um desses adjetivos quando Rocky receberia o Oscar de Melhor Filme em 1977. Ele dizia: “A melhor vingança contra seus inimigos é o seu próprio sucesso”.

A grande oferta…

Mas lá atrás, Stallone não conseguia de jeito nenhum vender seu roteiro, até que um dia um estúdio comprou realmente a ideia e ofereceu a ele 125 mil dólares pelo roteiro! Ele mal podia acreditar… Recebeu a oferta, mas disse que havia um porém: Ele teria que ser o ator a interpretar o Rocky!
Na hora o estúdio achou aquilo um absurdo, que ele não tinha experiência como ator. Então, mesmo passando fome, ele RECUSOU a oferta de 125 mil dólares, pois não conseguia imaginar ninguém mais fazendo o papel da sua vida.
Passado um tempo, o estúdio voltou a procurá-lo e oferecer 250 mil dólares pelo roteiro, mas ele não poderia ser o Rocky, pois eles já tinham encontrado o ator ideal. Ele recusou novamente e o estúdio fez uma oferta final de 325 mil dólares para ele desistir de ser o ator do próprio filme.
Sly disse que aquilo era inegociável até que o estúdio disse: “OK, você poderá fazer o papel. Mas, nós iremos pagar somente 35 mil dólares pelo roteiro e vamos gastar só 1 milhão com o filme todo. Desta forma, não arriscamos tanto dinheiro.”

A busca pelo seu amigo

Ele aceitou e, de posse desses 35 mil, qual foi a primeira coisa que Stallone fez? Voltou à loja de bebidas e ficou esperando para ver se encontrava o novo dono do seu cachorro. Até que no terceiro dia ele finalmente o encontrou e disse: “Senhor, lembra de mim? Eu te vendi este cachorro alguns meses atrás, porque eu estava passando fome e não tinha como alimentá-lo. Eu sei que o senhor deve amá-lo também, mas ele é tudo para mim e eu gostaria de comprá-lo de volta. Eu te dou 100 dólares.”.
O homem foi intransigente e disse que gostou bastante do cachorro e ele não o venderia. Stallone, então, ofereceu 500 dólares! Mesmo assim, o dono estava irredutível. Então, ele ofereceu mil dólares e o dono finalmente disse: “Pare com isso, o cachorro é meu agora e ponto final.”
Mesmo assim, Sly não desistiu e, após muita negociação, comprou o cachorro de volta por 15 MIL DÓLARES (praticamente metade do que havia recebido pelo roteiro) e o homem ainda exigiu aparecer no filme! Tanto que o cachorro do filme era o cachorro da vida real de Stallone e o homem da loja de bebidas também aparece.

Perceba a determinação e a atitude diferenciadas de Sylvester Stallone que era alguém que tinha tudo para dar errado e ainda assim conseguiu triunfar através da sua obstinação. Rocky não só ganhou o Oscar, como se tornou um fenômeno no cinema mundial ganhando várias sequências e tornando Sly um dos maiores e mais bem-pagos astros de Hollywood.

Não existe sucesso instantâneo

Resultado de imagem para rocky movie
Que história incrível, não é? Muitas vezes somos induzidos a acreditar naquela imagem de “sucesso instantâneo” estampada nas capas das revistas. Elas não mostram todo o sofrimento, rejeição, resiliência, determinação, pois a capa só retrata o seu momento de glória e não tudo o que aquelas pessoas tiveram que passar para chegar lá.
Os exemplos dessa ilusão de sucesso instantâneo são os mais diversos:

  • o cantor inspirado grava aquele hit de sucesso e fica famoso;
  • o empreendedor que tem uma ideia genial e fica milionário;
  • a mulher está distraída no café e encontra o amor da sua vida;
  • a pessoa acima do peso encontra a dieta milagrosa que a coloca em forma em pouco tempo.

Esta é uma grande fantasia, pois o sucesso (assim como o fracasso) não acontece da noite para o dia.
Que esta história possa inspirar você a não desistir dos seus sonhos… saiba que por trás de toda história de sucesso sempre há uma grande batalha de superação.
Gostou? Para saber mais, acesse: www.paulomachado.com
 

Por que você deve investir no seu desenvolvimento? Se fosse para responder de uma maneira seca e direta, eu diria mais ou menos assim: “Simplesmente porque se não fizer isso você vai estar condenado a uma vida de mediocridade”. E você não vai querer chegar no final dos seus dias, olhar para trás e se dar conta de que teve uma vida muito aquém do que realmente era capaz.
Pare e pense por um instante…
Todas – e eu digo todas mesmo – as pessoas de sucesso buscaram de alguma forma o autodesenvolvimento. As habilidades necessárias para que se tornassem bem-sucedidas não lhes foram concedidas gratuitamente, foram adquiridas através de um esforço consciente ao longo de muitos anos.
Afinal, como alguém pode almejar grandes realizações no trabalho ou na vida sendo uma versão mediana de si mesmo, não é? Quem chega aos 10% do topo é porque teve, em algum momento, a iniciativa de começar um processo de desenvolvimento para buscar a melhor versão de si mesmo. Para mim, esta é a maior diferença entre as pessoas bem-sucedidas e as outras.
O problema é que a maioria nunca inicia esse processo, mas espera que algo “aconteça” em sua vida, não toma essa iniciativa e, quando se dá conta, o tempo passou e os anos ficaram para trás.
E se você quiser saber se você corre o risco de ser uma dessas pessoas, basta responder a uma simples pergunta: “O quanto você está disposto a investir para se tornar uma pessoa melhor?”. O seu sucesso está íntima e diretamente ligado a quanto você está disposto a investir em si mesmo. Querer uma vida melhor, todos querem. Querer se desenvolver todos dizem que querem. Agora, a diferença está no seu nível de comprometimento com o seu desenvolvimento demonstrado através de suas ações.
E aqui eu não estou falando só de dinheiro, mas de tempo, energia mental, renúncias… Tampouco estou falando apenas do seu desenvolvimento profissional, mas de aumentar o seu valor como um ser humano integral e se transformar em uma pessoa melhor em todos os sentidos.
Isso, sim, gera transformação na sua vida: a sua busca pelo seu próprio desenvolvimento. Este é o único caminho. Somente conseguindo extrair o seu verdadeiro potencial, você será capaz de construir uma vida de sucesso.
 

O melhor investimento que você pode fazer

Eu enfatizei bastante o termo “investir em si mesmo”, mas qual é o sentido da palavra investir? Vamos analisar um momento a diferença entre gasto e investimento? Para entender essa distinção com mais clareza, podemos traçar um gráfico com dois eixos: Valor e Tempo.
Agora pense no valor das coisas ao longo do tempo. Quando você compra um aparelho eletrônico, um carro, uma roupa, tão logo você sai da loja essas coisas já começaram a perder o valor. Se você precisar vendê-las, conseguirá um valor menor do que o original. Isso é, portanto, um gasto.
Já um investimento são as coisas cujo valor aumenta com o passar do tempo, por exemplo: uma aplicação bancária, um imóvel, uma empresa. Essas coisas, quando bem administradas, valem mais conforme o tempo passa.
E, de todos os investimentos que você pode fazer para crescer, qual é o melhor deles? É o investimento em si mesmo, no seu Desenvolvimento Pessoal, pois aumentar o seu valor é o melhor que você pode fazer para conquistar o todas as coisas que você almeja na vida.
Aliás, todos nós queremos muitas coisas, mas você já parou para pensar quanto você realmente merece o que deseja?
Pare e reflita: o que você mais quer na vida?
Ter um milhão de reais no banco? Quão digno e merecedor você é de possuir esse dinheiro?
Encontrar o parceiro ideal? O quanto você merece ter essa pessoa ao seu lado?
Quer ter um corpo em forma? Um negócio de sucesso? Um filho bem-educado? O princípio é o mesmo!
As pessoas que conquistam essas coisas não chegam lá por acaso, mas por mérito. Por isso, lembre-se sempre:
O melhor investimento que alguém pode fazer é investir em si mesmo, aumentar o seu valor, para se tornar digno de receber aquilo que almeja.
Caso ainda não esteja convencido, aqui estão, de maneira bem objetiva, algumas razões (entre muitas outras) pelas quais você deveria investir agora mesmo (não é amanhã, não é semana que vem, é já!) no seu próprio desenvolvimento.
O tempo passa…
Se você não tomar uma atitude agora, os anos passarão em um piscar de olhos e você não vai perceber. Quando se der conta, lá se foi o tempo e você continua aí levando a mesma vida, fazendo as mesmas coisas. Infelizmente, para muitos, esse despertar acontece somente quando já é tarde demais.
A educação da vida não é suficiente
Se você acha que aquilo que aprende com a universidade, a empresa etc. é suficiente, sinto informar, mas isso apenas o coloca na média – e se fizer bem feito ainda! A diferença está no que você faz além da média. Então, é você quem deve ir atrás do próprio desenvolvimento, pois ele não virá até você.
A felicidade está no progresso
Na natureza o que não está crescendo, está morrendo. Não importa onde você esteja, se estiver no mesmo lugar há algum tempo, vai começar a se sentir infeliz. Por mais que ganhe 100 mil reais por mês fazendo o que ama etc. A estagnação sempre gera um vazio, pois todos nós temos a necessidade/obrigação de continuar crescendo de alguma forma.
Para concluir este capítulo, deixo uma história sobre o nosso desenvolvimento…
 

A diferença entre Águias e Patos

Eu estava no aeroporto de Nova York aguardando na fila quando um táxi encostou. A primeira coisa que eu notei era como o carro estava impecavelmente limpo, seu brilho chegava a reluzir. Elegantemente vestido com uma camisa branca, uma gravata preta e uma calça que parecia ter sido recém passada, o motorista apressou-se em sair para contornar o carro e gentilmente abrir a porta do passageiro para eu entrar.
Ele me entregou um belo cartão de visita e disse: “Eu sou o Wally, seu motorista! Enquanto carrego sua bagagem no porta-malas, gostaria que o senhor lesse a minha Missão como profissional de transporte urbano”. O cartão dizia:
Declaração da Missão do Wally:
“Levar meus clientes aos seus destinos da maneira mais rápida, segura e econômica possível em um ambiente amigável e proporcionando uma experiência agradável”.
Eu fiquei impressionado, especialmente quando notei que o interior do táxi fazia jus ao exterior. Parecia que havia sido especialmente limpo só para mim.
Ao sentar-se no banco do motorista, Wally me disse: “O senhor aceita um café? Eu tenho uma garrafa térmica com café fresco e outra com um descafeinado”.
Eu brinquei e disse: “Na verdade, o que eu gostaria mesmo era de um refrigerante”.
O Wally sorriu e disse: “Sem problemas. Eu tenho um frigobar com Coca-Cola, Coca Zero, suco de laranja e água”.
Sem conseguir conter minha surpresa, eu disse: “Eu aceito uma Coca, obrigado”.
Entregando-me a bebida, Wally disse: “Se o senhor quiser algo para ler, eu tenho o The Wall Street Journal, Time, Sports Illustrated e USA Today”.
Enquanto arrancávamos, ele me entregou outro cartão e informou: “Essas são as estações que tenho à disposição e as músicas que elas tocam caso o senhor queira escutar um pouco de rádio para relaxar”.
Como se não bastasse, Wally me perguntou se a temperatura do ar-condicionado estava ao meu agrado. Então, sugeriu o melhor caminho durante aquele horário do dia. Também me disse que seria um prazer conversar e falar sobre os pontos turísticos ou, se eu preferisse, ele me deixaria a sós com os meus pensamentos.
Eu perguntei: “Wally, você sempre atendeu seus clientes assim?”.
Wally sorriu pelo retrovisor e respondeu: “Não, nem sempre. Na verdade, faz apenas dois anos. Nos meus primeiros anos dirigindo eu passava meu tempo reclamando, como a maioria dos taxistas. Até que um dia eu ouvi no rádio um especialista em Desenvolvimento Pessoal chamado Wayne Dyer.
Ele dizia que se você acordar de manhã com a expectativa de que terá mais um dia difícil, raramente irá se desapontar.
Wally me contou que o autor falava na obra: “Pare de reclamar! Diferencie-se de seus concorrentes. Não seja um pato. Seja uma águia. Patos resmungam e reclamam. Águias possuem o céu para si e voam acima da multidão”.
“Aquilo me acertou em cheio”, disse Wally. “Era como se o Dr. Wayne estivesse falando aquilo para mim em particular. Eu ficava o tempo inteiro resmungando e reclamando, então decidi mudar de atitude e me tornar um águia! Olhei os outros táxis e seus motoristas em volta. Os carros estavam sujos, os taxistas não eram amigáveis e os clientes estavam insatisfeitos. Então, decidi implementar algumas mudanças, um pouco de cada vez. Como os clientes respondiam de uma maneira positiva, eu fazia cada vez mais.”
Então, eu falei: “Imagino que tenha valido a pena”.
“Com certeza!”, ele respondeu. “Meu primeiro ano como uma águia, eu faturei o dobro do que no ano anterior. Este ano eu irei provavelmente faturar quatro vezes mais. Você teve sorte em me pegar hoje. Eu não costumo mais ir até o ponto. Meus clientes me ligam o tempo todo e preenchem minha agenda. Quando não posso atendê-los, sempre os encaminho a um taxista da minha confiança e sou recompensado por isso.”
Wally era incrível. Além de trabalhar com paixão todos os dias, ele já estava administrando paralelamente um serviço de limusine.
E sabe o que é mais impressionante? Os seus colegas do ponto ainda achavam que ele havia tido sorte.
(História baseada em uma palestra do dr. Wayne Dyer)
Eu já devo ter falado sobre essa história a mais de 50 taxistas ao longo dos anos. Entretanto, somente dois realmente mudaram a maneira de trabalhar. Os outros permaneceram patos e me explicaram todas as razões pelas quais não podiam implementar nada do que eu lhes havia sugerido. Somente aqueles capazes de vencerem essa resistência tornam-se águias. E você, o que escolhe ser na sua profissão?
Eu espero que a partir de agora você comece uma nova busca consciente e focada pelo seu desenvolvimento, uma jornada rumo à melhor versão de si mesmo. Como diz um ditado chinês:
“A melhor época para plantar uma árvore foi há 20 anos. A segunda melhor é agora”.
Para concluir esta obra, deixei um capítulo muito especial para o final. Um capítulo sem o qual nenhum dos outros faria sentido. O tema que você irá ver a seguir transcende todos os outros e dá um sentido e uma beleza muito maior a nossa vida.
(Continua…)

Para saber mais: www.paulomachado.com
Se gostou, compartilhe…

Você acha que falta tempo em sua vida? Pois a sua concepção está prestes a mudar. O que falta a você não é tempo e sim clareza das prioridades, organização e disciplina. Afinal, todos nós temos as mesmas 24 horas a cada dia que passa.
A partir de agora, toda vez que se flagrar dizendo “Eu não tenho tempo para X”, eu quero que você pense: “X não é prioridade para mim neste momento”. Perceba como essa mudança na forma de expressar a frase faz toda a diferença, especialmente quando você diz que não tem tempo para passar com os filhos, cuidar da saúde ou investir no seu desenvolvimento.
Já que o tempo é igual para todo mundo, onde está a grande diferença, então? No nível de produtividade de cada um.
Aprender a ser produtivo e gerenciar melhor seu tempo é a chave para acelerar o seu progresso rumo ao sucesso e a chave para isso está em um princípio muito especial que você vai conhecer agora…

Princípio de Pareto

O Princípio de Pareto ou Princípio 80/20, afirma que 80% das consequências advêm de 20% das causas. Por exemplo: 80% do lucro de uma empresa é gerado por 20% dos clientes; 80% das vendas de uma equipe comercial advêm de 20% dos vendedores; em 80% do tempo, utilizamos 20% das palavras do nosso idioma; e assim por diante.
Essa proporção nem sempre é exatamente de 80/20, mas o fato é que existe. E como esse princípio pode influenciar a sua vida e a sua produtividade?
Se levarmos em conta a regra 80/20, podemos dizer que 80% dos resultados que você obtém em seu trabalho, em sua vida, são provenientes de 20% das coisas que você faz.
A chave, portanto, para aumentar a sua produtividade é identificar onde estão esses 20% e neles concentrar os seus esforços.
O problema é que, como não sabemos onde estão esses 20% (leia-se: não termos clareza de nossas prioridades), dispersamos nossos esforços em atividades secundárias e sem importância. Em vez de focarmos naquilo que realmente importa, gastamos energia com coisas que têm pouco valor e não nos fazem avançar para onde queremos chegar.
Para ter uma ideia do poder desse princípio e de como ele pode fazer a sua produtividade aumentar exponencialmente, pense que, hipoteticamente, se você tem uma lista de dez coisas para fazer, as duas mais importantes valem quatro vezes todas as outras somadas!
No entanto, em vez de se concentrar nelas, o que a maioria faz? Justamente o contrário! Gastam tempo naquilo que é fácil e agradável para ter uma falsa sensação de estar produzindo e procrastinam aquilo que é realmente importante.
Lembre-se: Movimento não significa progresso.
Você pode cumprir tarefas o dia inteiro e ainda assim não realizar nada de significante, não avançar nenhum passo em direção às suas metas. Por isso, muitas pessoas chegam ao final do dia com aquela sensação: “Corri o dia inteiro e parece que eu não fiz nada”.
Então, uma grande dica que o especialista Brian Tracy dá em seu livro Comece pelo mais difícil: 21 ótimas maneiras de superar a preguiça e se tornar altamente eficiente e produtivo é:

Se você tem que engolir um sapo, não fique muito tempo olhando para ele. Se você tem que engolir dois sapos, comece pelo mais feio.
-Brian Tracy

Ou seja, nunca deixe o mais importante para depois. Não caia na tentação de fazer o que é fácil e agradável só para criar a ilusão de estar produzindo. Comece o seu dia fazendo aquilo que é mais difícil e importante enquanto a sua energia está alta!
Isso porque, quando surgirem imprevistos ou não der tempo de cumprir com todas as suas tarefas, aquilo que deixará de ser feito serão coisas secundárias já que você começou pelas mais importantes.
Olhando dessa maneira, parece algo lógico, não é? Porém, na prática as coisas são mais difíceis do que parecem porque existem alguns sabotadores que drenam sua energia, desviam sua atenção, tiram seu foco e abrem um gargalo em sua produtividade. A seguir vamos conhecer quais são e como você pode se livrar desses sabotadores.
 

Eliminando sabotadores

Muitas vezes, aquilo que você escolher não fazer tem muito mais impacto na sua produtividade do que aquilo que você faz. Em vez de se perguntar: “O que eu deveria começar a fazer?”, pergunte-se: “O que eu deveria parar de fazer?”. Aqui estão algumas dicas.

  1. Não comece a trabalhar antes de planejar seu dia e definir as prioridades

Não caia na tentação de chegar ao escritório e já começar a trabalhar. Em vez disso, invista dez minutos para elencar e priorizar tudo aquilo que precisa ser feito durante o dia. Isso vale ainda mais para o seu planejamento semanal, mensal etc.

  1. Não se deixe levar pelas distrações – cuidado com as compulsões

Cuidado com a compulsão de ter de checar o celular a toda hora. Além de acabar com a sua produtividade, pode gerar neuroses mais sérias, como não conseguir ficar sem seu smartphone por alguns instantes.
Se tiver dificuldades em resistir, livre-se da tentação. Desligue ou coloque o telefone em “Modo Avião” quando tiver de se concentrar em algo importante.
Aliás, permita-se também desligar o telefone em alguns momentos fora do horário do trabalho. Você verá como sua mente irá relaxar naturalmente, algo que ela estava desesperadamente buscando. Por incrível que pareça, o mundo não vai acabar se você desligar o seu telefone quando estiver brincando com seus filhos, fazendo exercícios ou lendo um livro.

  1. Não se preocupe em deixar que pequenas coisas ruins aconteçam

Você nunca terá tempo para fazer tudo o que tem de fazer, mas sempre terá tempo para fazer aquilo que é importante.
Às vezes, isso irá significar deixar que pequenas coisas ruins aconteçam. Por exemplo: dizer não a um cliente, recusar um convite ou negar um pedido de ajuda de alguém que ficará chateado com você por isso. Não se culpe, aceite que esse é um efeito colateral necessário em nome da realização de algo maior.
O verdadeiro problema está em fazer justamente o contrário: deixar de lado suas prioridades para atender a todas aquelas demandas externas que surgem a todo momento.

Dica Bônus:

Elimine o que não é essencial de seu trabalho e de sua vida para poder concentrar sua energia naquilo que realmente importa! A maior dificuldade em ser produtivo e manter o foco não está em saber o que se tem que fazer, mas em dizer “não” e se blindar contra todas as distrações que irão tentar tirar o seu foco! Lembre-se: foco é uma questão de decidir as coisas que você não vai fazer.
Eu espero que a partir de agora você passe a utilizar o seu tempo de uma maneira mais consciente e estratégica. É incrível como “sobra” tempo quando você se livra das distrações e foca no que realmente importa.
No próximo capítulo nós vamos refletir sobre aquela velha frase: “Nenhum homem é uma ilha…” e sobre a importância de saber se relacionar com as pessoas para poder alcançar o sucesso.
(continua…)

Para saber mais: www.paulomachado.com
Se gostou, compartilhe…

Você é o resultado do conjunto de hábitos que possui (ou deixa de possuir). Se parar para analisar sua vida mais de perto irá perceber que a sua situação atual nada mais é do que o resultado dos hábitos que escolheu cultivar.
 
Para mim, não existe uma receita de sucesso, mas se tivesse que falar uma, eu diria: “Cultive bons hábitos”. Acho muito difícil conseguir imaginar uma pessoa que tenha bons hábitos e, mesmo assim, tudo dá errado em sua vida. Da mesma forma, não consigo pensar em alguém que tenha péssimos hábitos e esteja bem. Existe uma relação clara de causa e efeito aí no longo prazo.
 
Então, quer mudar algo em sua vida permanentemente? Mude algo que você faz todos os dias! Mas por que é tão difícil mudar nossos hábitos?
 
Eis uma pergunta intrigante, não é? Muitos tentam, poucos conseguem. Por quê? Há várias razões. Mas podemos dizer que talvez o maior culpado seja: a parte mais antiga de nosso cérebro. É aí que está a chave para encontrar a explicação dessa força inconsciente que nos domina e é mais poderosa que nossa força de vontade e o nosso desejo racional de mudar.
 
Em seu livro Uma vida que vale a pena, Jonathan Haidt faz uma analogia muito interessante comparando nosso cérebro à cena de um elefante e um condutor. O elefante corresponde à parte mais primitiva do nosso cérebro responsável pelos hábitos (inconsciente, não requer esforço, automático, não compreende comunicação verbal, nunca cansa…) enquanto o condutor representa o neocórtex pré-frontal, área mais avançada que lida com o raciocínio lógico (consciente, gasta muita energia, delibera, compreende comunicação verbal, cansa rápido…).
 
Então, toda vez que queremos mudar um hábito: fazer uma dieta, manter a casa arrumada, ler etc., o condutor assume o controle temporariamente. Porém, o que acontece mais cedo ou mais tarde? Ele eventualmente cansa e o elefante assume o controle novamente.
 
Então, em primeiro lugar, não se culpe se fracassou na empreitada de criar uma nova rotina para si – culpe seu elefante! Mas, se o elefante é muito mais forte, qual é a chave então? Aprender a domar o elefante através da inteligência e não da força! E como fazer isso? Aqui estão três dicas básicas que poderão aumentar bastante as suas chances de sucesso em uma mudança de hábitos.
 

1. Tenha um plano

A primeira dica e mais importante de todas é pensar estrategicamente. Você deve se preparar antes da mudança, deve elaborar um plano antes de entrar em ação. Afinal, qual é a chance de qualquer projeto dar certo sem ter sido previamente planejado?
 
A mudança de hábito também é um projeto em sua vida e deve ser encarada como tal. Só essa mudança na sua forma de enxergar já fará grande diferença. Antes de agir, pare, pense, estude, planeje, vá atrás de uma estratégia inteligente e então inicie a mudança que deseja.
 

2. Tenha clareza das suas motivações

Pense que você precisará de energia para concretizar a mudança de hábito. É como se você tivesse uma bateria de celular e você precisa fazer esta carga durar até o elefante estar totalmente domado. E é aqui que está a chave: a carga inicial da sua bateria é diretamente proporcional à clareza das motivações que você tem para querer mudar de hábito. Se eu lhe perguntasse: “Por que você quer mudar este hábito dentre todos aqueles que poderia escolher?”, o que você me responderia?
 
Se você não tiver uma resposta clara e convincente, se não tiver bons motivos ou razões fortes o bastante, quer dizer que a sua bateria não está cheia. Compreenda por que você busca essa mudança? O que ela vai lhe proporcionar? De que maneira sua vida ficará melhor?
 
Pense que essa mudança é apenas o veículo para algo que está buscando, para a realização de um desejo. Descubra qual é esse desejo no fundo. Não “entre em campo” antes de ter clareza das suas motivações.
 

3. Aguente firme por 21 dias

Quanto tempo leva para treinar o elefante? Esse período depende da pessoa e da complexidade do hábito envolvido. Um estudo bastante respeitado da University College London afirma que são necessários, em média, 66 dias para que a mudança seja permanente.
 
No entanto, o primeiro terço desse tempo é a parte realmente mais difícil. Passados 21 dias – e aqui vem uma boa notícia – o elefante já estará mais treinado e a mudança irá requerer cada vez menos esforço até chegar no modo automático (elefante totalmente domado), que não requer mais nenhum esforço! Portanto, foque apenas nos 21 dias para começar.
 
Entrando em um “Círculo Virtuoso”: Após um primeiro projeto bem realizado, seus “músculos mentais” estarão mais fortes e sua energia para uma próxima empreitada será maior, pois você já terá alcançado um nível maior de disciplina.
 
Além disso, a sensação de realização, de dever cumprido, irá lhe dar uma dose enorme de motivação para uma próxima mudança e assim sucessivamente, fazendo com que caia em um círculo virtuoso e transformando de maneira permanente sua vida! Quando se der conta, estará vivendo em uma rotina de alta performance e concretizando todos os seus sonhos e objetivos.
 
O próximo capítulo é um dos meus favoritos! As mudanças em nossa vida não acontecem do dia para a noite, mas, ao mesmo tempo, não têm que demorar tanto. Existe uma forma de acelerar este processo…
 
(Continua…)
 
 
Para saber mais: www.paulomachado.com
Se gostou, compartilhe…

Pare e reflita por um instante…
Para você, tudo acontece no seu cérebro. Esta é a sua realidade. Não importa o que ocorra ao seu redor, tudo sempre passará pelo filtro dos seus sentidos.
Se você me disser que a sua meta é comprar um carro esportivo – e não há nada errado em ter uma meta assim – e eu lhe perguntar: “Por que você quer isso?”, você poderá dizer que é para obter status, se sentir mais jovem ou atraente, ou ainda que é pela emoção da velocidade ou da aventura, o fato é que o que você sempre busca é uma sensação de prazer em seu cérebro.
Você não quer o carro. Você quer o que o carro irá lhe proporcionar. E, indo mais a fundo, você não quer o que o carro irá lhe proporcionar, você quer a sensação em seu cérebro que essas coisas irão fazê-lo sentir. (Lembra da diferença entre veículo e objetivo?)
Você pode me dizer que quer qualquer coisa, se eu provocá-lo perguntando “Por quê?” várias vezes, perceberá que invariavelmente a sua resposta final será “Para obter uma sensação de prazer no cérebro”. Perceba como essa mudança na forma de enxergar muda tudo.
No final das contas você não quer um milhão de dólares, emagrecer 10 quilos, viajar o mundo ou encontrar sua alma gêmea, você quer o sentimento que essas coisas irão lhe dar. A partir do momento que entende isso, o jogo muda porque você descobre que pode obter essas sensações sem ter de necessariamente obter o que acabamos de citar. A propósito, os vendedores e publicitários de maior sucesso compreendem muito bem como isso funciona.
O que buscamos não são coisas, mas alguma forma de aumento de qualidade em nossa vida. E, aliás, você já parou para pensar o que realmente determina essa qualidade? Não é dinheiro, amor, saúde, mas a qualidade das emoções que você sente constantemente. E de onde surgem essas emoções?
 

A força que controla seus pensamentos

“Mindset”, eis uma palavra poderosa. E o que ela significa? Eu gosto de pensar em mindset como a “forma como você programou a sua mente para pensar”.
E por que essa palavra é tão poderosa? Porque tudo em sua vida, todos os resultados que você obtém nascem e são construídos a partir do seu mindset. Seu sucesso profissional, seu casamento, sua saúde, sua prosperidade etc.
Basta observar que o mindset de pessoas de sucesso é drasticamente diferente daquele de pessoas frustradas.
Quer ver só? Pense em alguém que você considera uma pessoa de sucesso.
Agora, pense em uma pessoa para quem nada dá certo e que está sempre reclamando, e perceba como as duas têm uma maneira muito diferente de pensar, de enxergar as coisas, de interpretar a realidade e também um conjunto muito diferente de crenças sobre a vida e sobre si mesmas.
Você pode mudar de emprego, esposa, cidade, mas se não mudar a sua mente, as mesmas experiências, os mesmos sentimentos irão se repetir. Goste ou não, o fato é que você está preso a ela.
Por isso, toda mudança, toda nova jornada, começa primeiro em sua mente. É lá que a sua vida acontece. Como fazer isso? A PNL (Programação Neurolinguística) nos traz técnicas muito interessantes e aqui eu vou mostrar uma delas.
 

Perguntas inteligentes

Alguma vez você procurou algo no Google e ele não achou absolutamente nada a respeito? Com certeza, não.
Com o seu cérebro é a mesma coisa. Toda vez que é acionado, ele tem a obrigação de buscar respostas. Ele não pode não fazer isso a partir do momento que a pergunta é feita.
Não leia esta frase.
Viu só? Já leu. É mais ou menos o mesmo princípio.
Então, chegou a hora de utilizar isso em seu favor e aproveitar essa submissão de uma maneira inteligente.
Se você se perguntar:
“Por que eu não consigo emagrecer?”
Seu cérebro irá involuntariamente procurar respostas e elas virão em forma de pensamentos.
Para esta pergunta – que aliás é uma péssima pergunta e você vai ver por que –, as respostas seriam algo como:
“Porque você não tem disciplina… porque você come demais… porque você tem preguiça de se exercitar… porque você sempre desiste no meio do caminho…”
Mas o cérebro não está errado. A culpa não é dele. Ele está se esforçando para responder o que você perguntou.
Qual é o segredo, então? Mudar as perguntas! Essa é uma das forças mais poderosas de transformação, pois isso é algo que você controla. E perguntas inteligentes geram respostas inteligentes.
Então, se você agora perguntasse:
“Como eu posso emagrecer e ainda me divertir durante o processo?”
As respostas não seriam muito mais interessantes?
Outro exemplo: quem você acha que tem mais chance de arranjar um bom parceiro, alguém que pensa:
Por que nenhum relacionamento dá certo comigo?
Ou alguém que pensa:
O que eu preciso melhorar em mim para merecer uma pessoa especial ao meu lado e construir um relacionamento saudável?
E um último exemplo para ficar ainda mais claro:
“Como posso fazer isso se eu não tenho tempo para nada?” versus “Como eu posso organizar melhor meu tempo para focar naquilo que realmente importa?”.
Perceba como existe uma grande diferença nos tipos de respostas que essas perguntas geram.
Resumindo de uma maneira bem prática:

O seu sucesso está diretamente ligado com a qualidade do seu diálogo interno, das perguntas que você se faz constantemente.

Essas perguntas afetam em grande escala como você se sente, como age e de que maneira enxerga as coisas ao seu redor.
Então, fique atento às perguntas que você se faz.
Fascinante a nossa mente, não? Agora que você tem a base de como funciona nosso cérebro, está preparado para o próximo capítulo no qual vamos ver como a nossa vida é o resultado do conjunto de hábitos que cultivamos e, mais importante, como mudar esse conjunto para viver muito melhor. Prepare-se porque a partir do próximo capítulo seus hábitos irão mudar!
(Continua…)

Para saber mais, acesse: www.paulomachado.com
Se gostou, compartilhe…

Imagine um “tripé” que representa o caminho para alcançar qualquer coisa que você queira na vida: dinheiro, satisfação profissional, casamento feliz, qualidade de vida, corpo ideal etc.
Se conseguir montar este tripé, é praticamente impossível você não conseguir chegar aonde você quer… Esse tripé é composto por 3 clarezas essenciais. Vamos à primeira delas!
 

Primeira perna: O que?

O primeiro passo é definir exatamente o que você quer alcançar. A obtenção de qualquer objetivo que você deseje obter na vida parte do nível de clareza que você tem em relação a ele. Existe uma relação direta entre o sucesso e esse nível de clareza. Se você não faz a menor ideia, ou tem uma visão muito vaga do que procura, provavelmente não está avançando na vida, pois caminha sem direção.
Mas por que é tão difícil parar um instante e definir claramente aonde queremos chegar?
Pense em um círculo grande. Ele representa uma visão bem vaga e genérica que você tem do rumo que quer dar a sua vida (muitos nem isso têm). Seu objetivo é diminuir esse círculo, deixando sua visão cada vez mais clara, detalhada, específica…. Em outras palavras, é transformar um objetivo vago, genérico, abstrato em uma meta clara, visualizável, mensurável e com um prazo determinado para ser alcançada.
E por que isso é tão importante? Porque somente assim você será capaz de caminhar com foco e direcionamento. Desta forma, poderá concentrar sua energia nas coisas que realmente importam – e por consequência ter efetividade em suas ações…
Entretanto, só isso não basta, você precisará de combustível para chegar lá e é aí que entra a segunda perna do tripé…
 

Segunda perna: Por Que?

Pense em alguma vez que tentou cumprir uma meta, mas não conseguiu: mudar de emprego, emagrecer, realizar um desejo antigo. Na maioria das vezes você não alcançou a meta porque lhe faltou motivação para ir até o final. A grande questão que surge então é: como conseguir manter a motivação até atingir a meta?
Para responder, podemos fazer outra pergunta ainda mais intrigante: de onde vem essa motivação? E a resposta é esta:
Da clareza do seu “Por que”.
Não importa o que esteja buscando neste momento, se não tiver clareza de por que isso é tão importante para você, dificilmente conseguirá chegar até o final. Pergunte-se: “Para que eu quero tanto isso? De que maneira isso tornará minha vida melhor? Por que vale a pena lutar por isso?”.
No entanto, para conseguir responder a essas perguntas, precisamos fazer uma distinção muito importante: veículo e objetivo, dois conceitos que as pessoas confundem bastante, então vamos a um exemplo para ficar mais claro.
Imagine que você queira aprender a falar inglês. Esse é o seu objetivo, certo? Errado! É aí que está o grande erro, aprender inglês não é o objetivo final, ele é o meio, o veículo que vai lhe possibilitar conquistar algo que deseja (crescer na carreira, ganhar mais dinheiro, viajar o mundo, estudar fora etc.).
A partir do momento que você faz essa distinção, fica mais fácil encontrar as suas motivações. Isso é parte fundamental do processo porque:
O seu combustível para atingir qualquer meta é determinado pela clareza que você tem de suas motivações.
Sem a clareza do “Por que”, não existe propósito, não existe motivação, não existe combustível, não existe energia e a mudança não acontece, ela para na metade.
Ainda assim, só motivação não é suficiente. Se estiver percorrendo o caminho errado, nunca chegará lá. Por isso, você também precisa da terceira perna do tripé…
 

Terceira perna: Como?

Toda motivação do mundo não é o bastante quando se está com a estratégia errada. Por isso, uma vez que você tenha claro em sua mente exatamente aonde quer chegar e por que isso é tão importante, é hora de buscar a clareza de “Como” irá chegar lá, quais são os passos que deve tomar. E existe uma forma inteligente para descobrir isso. Vamos para um caso prático para ilustrar melhor.
Exemplo: Pedro quer ganhar mais dinheiro.
 
1) O QUE?
O objetivo de Pedro é ganhar mais dinheiro. Seu primeiro passo é transformar esse objetivo em uma meta específica como: Passar a ganhar 30 mil reais por mês nos próximos 18 meses.
Essa conquista não será fácil, irá exigir esforço, dedicação, comprometimento, disciplina e consumir bastante energia. O nível dessa energia ou combustível, se preferir, será determinado pela clareza do seu propósito (por que conquistar isso é tão importante para ele).
 
2) POR QUE?
Então, Pedro resolve ir atrás dessa clareza e percebe que com esses rendimentos (veículo) poderia mudar para a casa que sempre sonhou, colocar o filho em um colégio bilíngue, realizar o sonho da esposa de conhecer a Europa, quitar suas dívidas, poupar um bom valor para sua segurança futura, proporcionar uma vida com mais conforto para sua família e ajudar a mãe que depende de sua renda. Todas essas razões são fortes o suficiente para deixá-lo motivado e cheio de energia para o período de 18 meses que o aguarda.
Agora, falta a parte final, “Como” chegar lá!
 
3) COMO?
Através da Estratégia da Modelagem que diz que o segredo está em observar mais atentamente o caminho de quem já chegou onde queremos estar para modelar seus passos e buscar obter os mesmos resultados.
No caso de Pedro, ele poderia se questionar:

  • ​O que faz um profissional na minha área que ganha 30 mil reais por mês?
  • Como foi o seu crescimento na carreira?
  • Quais foram os fatores mais determinantes para ele conquistar essa renda?
  • Como é a sua rotina? Em quais atividades ele investe as horas de seus dias?
  • Em que ele mais concentra seus esforços?
  • Quanto tempo levou para chegar lá?
  • Quais foram as etapas e desafios que ele teve que vencer?
  • Quais foram seus maiores erros?
  • O que ele faz que eu não faço?
  • O que eu faço que ele não faz?
  • De que maneiras ele se desenvolveu para chegar lá?

A partir desses questionamentos, Pedro terá uma visão mais clara das etapas que precisa vencer para chegar lá e será capaz de traçar uma estratégia mais inteligente.
Mas isso não é tudo, não basta você saber o que precisa fazer, você precisa ser capaz de entrar em ação, de vencer a procrastinação e isso nós vamos ver a seguir.
No próximo capítulo vamos conhecer melhor o seu maior companheiro na vida: o seu cérebro! Você vai entender por que, mesmo ciente do que temos que fazer, na maioria das vezes não conseguimos! Além de conseguir vencer esta barreira, você vai conhecer a chave para liberar um enorme poder que já carrega dentro de si…
(Continua…)

Para saber mais, acesse: www.paulomachado.com
Se gostou, compartilhe…

“Você é o único responsável pelo seu sucesso ou fracasso.”
-Jocko Willink
 
O que estou prestes a lhe dizer pode parecer um pouco duro, mas a verdade é que você é o único responsável pelo seu destino.
Difícil aceitar, não é? Afinal de contas, existem muitos fatores sobre os quais você não tem nenhum controle e que impactam diretamente a sua vida, certo?
Entretanto, se refletir com mais profundidade, irá perceber que o que realmente faz a diferença para o nosso sucesso é a atitude interior de cada um, a maneira como escolhemos lidar com o que nos ocorre.
Viktor Frankl, sobrevivente do Holocausto e autor do clássico livro Em busca de sentido, escreveu:
 
“Tudo pode ser tirado de uma pessoa, exceto uma coisa: a liberdade de escolher sua atitude em qualquer circunstância da vida”.
 
Enquanto buscar desculpas e razões pelas quais as coisas não dão certo em sua vida, você sempre será prisioneiro de uma vida de frustrações. E pior, estará sempre impotente para agir, pois ainda não conseguiu assumir a responsabilidade pelos resultados que obtém.
Se observar mais atentamente as pessoas de sucesso, irá perceber que, apesar de também terem vários motivos, elas não se fazem de vítimas. É a diferença de atitude que as distingue. Elas triunfam apesar das dificuldades.
Por isso, o primeiro passo para uma mudança verdadeira é sempre uma mudança de mentalidade. Há pessoas que têm uma mente programada para pensar: “Em minha vida, a coisas acontecem”, essas esperam passivamente por oportunidades. Enquanto há outras que pensam: “Em minha vida, eu faço as coisas acontecerem”, essas criam proativamente suas oportunidades.
A forma como você define isso fará toda a diferença na maneira como conduz sua vida e molda seu destino.
Por mais que coisas ruins possam nos acontecer sem que tenhamos qualquer culpa ou controle, ainda assim sempre seremos o único responsável por decidir como lidar com as adversidades.
 

“O sucesso não depende do que acontece com você, mas de como você escolhe lidar com as coisas que lhe acontecem.”

 
Então, se as coisas vão bem para você, parabéns! É seu mérito. Se vão mal, o único responsável (e capaz de mudar a situação) é você.
Enquanto não conseguir assumir essa responsabilidade, estará sempre impotente para agir, como um prisioneiro da sorte, um refém do acaso. Por outro lado, a partir do momento que “virar essa chave”, as coisas mudam na hora. Você para de depender dos outros (ou de qualquer fator externo) e passa a depender exclusivamente de si, tornando-se o arquiteto do seu futuro, o senhor do seu destino.
Essa mudança interior é sempre o primeiro passo, mas ainda está longe de ser suficiente para se construir uma vida plena e de realização. Existe outro princípio fundamental que, se não obedecido, pode nos condenar a uma vida de frustração. Vamos conhecê-lo no próximo capítulo.

Para saber mais, acesse: www.paulomachado.com

 “O futuro não é um lugar para onde estamos indo, mas um lugar que estamos criando. O caminho para ele não é encontrado, mas construído.”

-Antoine de Saint-Exupéry
 
O sucesso nunca é fruto do acaso, ele é sempre o resultado de um esforço inteligente, de uma conduta anterior.
Isso ocorre porque vivemos em um universo regido por leis e não pelo acaso. Dentre essas leis, existe uma, em especial, que pode ser considerada a mãe de todas as outras: a Lei de Causa e Efeito. Essa lei já é conhecida da humanidade há milhares de anos. Aristóteles a chamava de Princípio de Causalidade, os hindus de Carma, os cristãos de Plantio e Colheita, a física de Ação e Reação.
A Lei de Causa e Efeito afirma que para cada efeito em nossa vida existe uma causa específica. Perceba como a palavra “específica” faz toda a diferença na frase. A partir dela, podemos analisar esta relação de uma maneira mais profunda.
Se efeitos são gerados por causas específicas, podemos, então, aplicar esta lei ao sucesso e afirmar que, se uma vida de sucesso é o efeito, logo, ela deve ter uma causa, ou conjunto de causas específicas.
Isso vale para qualquer área da sua vida: sucesso profissional, abundância financeira, saúde física e mental etc. Vamos ver um exemplo prático para entender melhor.
Pense, por exemplo, em um casamento feliz (efeito). Se você passar tempo e observar mais atentamente o casal, irá perceber quais são foram as causas que geraram esse resultado: a forma como conversam, quanto tempo passam juntos, como lidam com problemas, quais foram os motivadores da união etc.
Agora, para ficar ainda mais fácil perceber, em vez do sucesso, pegue o insucesso. Imagine agora um casamento à beira do divórcio. Da mesma forma, essa situação não se concretizou da noite para o dia, concorda? Ela é o resultado de uma conduta consistente ao longo do tempo. Qual foi o caminho que levou a esse fim? Não foi também um conjunto de causas específicas?
A situação que cada casal se encontra nada mais é que o resultado do conjunto de ações que tiveram ao longo do tempo e que os conduziu até lá.
Se quiser ver como isso vale para dinheiro, trabalho, saúde etc., é só pensar em um familiar que está sempre com problemas financeiros, um amigo acima do peso, um colega infeliz na profissão, o princípio permanece sempre o mesmo.
A situação atual de sua vida é o resultado da sua conduta nos últimos 12 meses. Da mesma forma, analisando a sua conduta atual, é possível prever onde estará daqui 12 meses.
Ou seja, sua vida atual (efeito) é o resultado da soma de atitudes, ações, comportamentos, condutas, hábitos que você cultivou até o momento (causa). Da mesma forma, a sua vida futura será o efeito das causas que você gera no presente.
Mas e a sorte e o azar? Eles existem, mas é um erro acreditar que são responsáveis pelo seu sucesso ou fracasso. Nenhuma pessoa que conquistou o sucesso teve apenas sorte. Do mesmo modo, o azar nunca conseguiu frear quem está realmente determinado a conquistar o que quer.
Portanto, lembre-se: sorte ou azar não existem no longo prazo. Tanto o sucesso quanto o fracasso não acontecem da noite para o dia. A partir desse ponto, procure analisar melhor e a compreender mais profundamente a relação de causa e efeito que existe entre as coisas.
Sucesso = bons hábitos + boas decisões + consistência ao longo do tempo
Fracasso = maus hábitos + más decisões + consistência ao longo do tempo
Então, se existe uma Lei de Causa e Efeito e você tem o poder de ser criar as próprias causas, então é o responsável pelos efeitos que obtém em sua vida? É isso que nós vamos ver no próximo capítulo…

Para saber mais, acesse: www.paulomachado.com

Andrew Carnegie nasceu em Dunfermline, na Escócia, em 1835. Filho de pais muito pobres, ele se mudou para os Estados Unidos ainda criança e, aos 12 anos, começou a trabalhar em uma fábrica ganhando apenas 1 dólar por semana.
Dali, iniciou-se uma das maiores ascensões no mundo dos negócios já vistas na história e Andrew Carnegie tornou-se o homem mais rico de todos os tempos.
Em valores corrigidos para os dias de hoje, sua fortuna seria avaliada em 400 bilhões de dólares (1,6 trilhão de reais), quatro vezes maior que a de Bill Gates.
Como era um homem generoso, ele utilizou esse dinheiro para construir várias obras importantes para a posteridade, como a conceituadíssima Universidade de Carnegie Mellon e o grande teatro Carnegie Hall em Nova York, além de incontáveis bibliotecas.
Mesmo assim, seu maior legado para a humanidade não foi nem o dinheiro que doou nem os bens materiais que deixou após a morte, mas algo muito mais precioso.
Ele deixou uma ideia.
Uma ideia que resumia a principal lição que aprendeu em todas essas décadas de ascensão ao sucesso e que seria capaz de transformar a vida de muitas pessoas no futuro. Ele dizia: “É uma pena que a cada nova geração as pessoas tenham que perseguir o sucesso através de tentativa e erro quando os princípios que conduzem até lá são tão evidentes”.
Ele acreditava que deveria haver um “denominador comum” entre todas as pessoas de sucesso, como uma espécie de fórmula ou conjunto de princípios que pudessem ser replicados por qualquer um que tivesse a atitude e disposição necessárias.
Para Andrew, estava claro que existiam padrões bem específicos que todos aqueles bem-sucedidos seguiam e que os levavam à prosperidade. Ele só precisava encontrar uma maneira de comprovar sua hipótese.
Então, ele pensou: “Se eu fosse capaz de entrevistar um universo grande o bastante de pessoas extremamente bem-sucedidas, esses padrões não teriam como ficar ocultos. Com uma investigação minuciosa eles seriam eventualmente identificados e comprovados”.
No entanto, para que o estudo fosse válido, ele determinou que não poderia durar menos de duas décadas! Afinal, o objetivo era estudar o “Verdadeiro Sucesso”, aquele capaz de resistir à prova do tempo.
Contudo, como já estava em idade avançada, precisaria, para isso, de alguém de confiança para levar adiante o grande projeto de sua vida.
Foi então que, por uma dessas estranhas coincidências do universo, em uma entrevista, ele conheceu um jovem jornalista, de apenas 19 anos, chamado Napoleon Hill. Nessa ocasião, Carnegie viu um brilho diferente nos olhos do rapaz e resolveu lhe propor o desafio dando-lhe exatos 60 segundos (sem que ele soubesse disso) para decidir se aceitaria ou não.
Napoleon Hill aceitou na hora e dedicou os próximos 20 anos de sua vida a entrevistar e investigar pessoas de sucesso a fim de isolar e identificar os padrões e princípios que as levavam a essa vida.
Hill entrevistou milhares de pessoas, dentre as quais estavam as 500 mais ricas e influentes do século XIX nos Estados Unidos. Através de Carnegie, ele teve acesso a personalidades como o presidente Theodore Roosevelt, Thomas Edison, Henry Ford, Alexander Graham Bell, John Rockefeller e várias outras.
Todo esse trabalho, essa infinidade de horas, resultou em um dos livros mais influentes no mundo, “The Law of Success”, traduzido em português para: “A lei do triunfo”. Na verdade, era uma série com 15 livretos reunidos que foi publicada em 1925.
Andrew Carnegie nunca chegou a ver o resultado de seu grande projeto, pois morreu seis anos antes. Contudo, seu legado permanece vivo até hoje. Graças a ele, uma nova forma de pensar surgiu. O lançamento do livro deu início a uma nova era na qual o sucesso passou a ser estudado como uma relação de causa e efeito fruto de uma transformação pessoal do indivíduo.
 

“Se você tem a meta de alcançar um milhão de dólares e triunfa, seu maior prêmio não será o dinheiro, mas a sua transformação pessoal, a pessoa que você teve que se tornar para conseguir chegar lá.”

– Andrew Carnegie
 
Apesar de o dinheiro ser uma parte importante, é fundamental ressaltar que o objeto desse estudo não foi apenas o sucesso financeiro, mas o sucesso em sua concepção mais ampla, entendido como:
“A capacidade de um indivíduo de alcançar a excelência de si mesmo, de transformar sua vida naquilo que sempre sonhou e de contribuir de uma maneira significativa para o mundo ao seu redor.”
Este é o Verdadeiro Sucesso.
Napoleon Hill concluiu e comprovou empiricamente que para construir uma vida extraordinária as pessoas de sucesso seguiam padrões bem determinados, os quais se tornaram evidentes ao longo de todo o seu trabalho.

O Estudo do Sucesso

Napoleon Hill morreu no dia 8 de novembro de 1970, aos 87 anos, mas seu legado hoje permanece mais vivo do que nunca. A partir do seu trabalho, vários outros dedicaram as suas vidas ao estudo do sucesso, nomes consagrados como Tony Robbins, Brian Tracy, Zig Ziglar, Dale Carnegie, Jim Rohn, Stephen Covey, Peter Drucker, Les Brown, Tim Ferriss e tantos outros.
Cada um ao seu estilo, todos sempre pregaram a mesma mensagem: o sucesso é algo previsível, ele deixa rastros.
Quanto mais se aprofundavam os estudos, pesquisas e experiências, mais a tese de Napoleon Hill se confirmava: existem padrões determinados que conduzem uma pessoa tanto a uma vida de sucesso como a uma vida de fracasso. E o melhor: não são padrões abstratos, princípios vagos, ao contrário, eles são bastante específicos.
Mas, afinal, quais são esses princípios?
Existem vários e ninguém pode ter a pretensão de dizer que conhece todos eles. Então, o que fiz aqui foi compilar aqueles que eu, em minha humilde perspectiva, considero ser os dez mais importantes.
Meu objetivo é ajudá-lo a ter um “despertar” e tomar consciência que esses princípios existem, pois isso pode fazer toda a diferença em sua vida a partir de agora.
A seguir, você vai ter acesso a um profundo conhecimento que somente foi obtido graças ao esforço de grandes seres humanos que dedicaram suas vidas em busca desses princípios através de gerações. Por isso, é importante que você perceba desde já que isso aqui não se trata de uma simples leitura, mas de uma janela de oportunidade para você alterar o rumo do seu destino e construir um futuro completamente diferente para sua vida a partir de agora, repleto de plenitude, prosperidade e realização – não importa a sua idade ou a sua situação atual.
Para concluir, então, esta introdução, saiba que esses são princípios que você deve seguir para alcançar o sucesso. Isso não é uma opção, pois o sucesso é inalcançável para aqueles que não os seguem.
Por outro lado, é impossível não conseguir transformar sua vida se começar a aplicá-los na prática. E o melhor é que, uma vez que inicie essa busca consciente e focada rumo ao seu próprio desenvolvimento, a mudança irá acontecer muito antes do que você imagina.

Continua…
Para saber mais, acesse: www.paulomachado.com
Para conhecer o Programa Online, acesse: www.verdadeirosucesso.com

Pessoal, amanhã vou começar uma Série Especial aqui onde irei publicar um Capítulo por dia ao longo dos próximos 12 dias com o conteúdo da Nova Versão do meu Livro “O Verdadeiro Sucesso”.
Nesta nova versão, eu resumi todo o conteúdo em 70 páginas (o original são 201 páginas) deixando apenas o essencial para oferecer uma leitura mais ágil e objetiva.
Para você que acompanhar a série do início ao fim (curtir, comentar, compartilhar…), eu vou mandar o PDF original para que você possa tê-lo consigo como um Manual de Desenvolvimento Pessoal para o resto da sua vida.
A série começa amanhã às 8h00, mas para quem tiver interesse, já vou deixar aqui uma breve apresentação do que você vai ver… Se gostou da ideia, compartilhe… 😉
 

Introdução: Mais um livro de autoajuda?!

Hoje, quando se fala na palavra “sucesso”, fica difícil não a associar àquelas imagens de gurus de palco, promessas mirabolantes etc.
Então, antes mesmo de começar a leitura, eu gostaria de esclarecer duas coisas:
a) Para mim, não existe sucesso sem esforço ou mérito. Duvide seriamente de qualquer pessoa que tiver uma solução fácil ou instantânea. Existem, contudo, maneiras inteligentes e estratégias eficazes para transformar rapidamente a sua vida a partir de agora.
b) Eu não acredito em receita para o sucesso. O que funciona para um não funciona para outro. Entretanto, o sucesso é mais previsível do que parece. Quem chega lá, não é por acaso. Existem alguns padrões bem determinados que conduzem uma pessoa a uma vida de sucesso (e que você está prestes a conhecer…)
Então, este livro não é sobre “fórmulas mágicas”, mas sobre estratégia e prometo respeitar sua inteligência do início ao fim.
O conteúdo está dividido em “10 Princípios Universais do Sucesso” que reuni com base em mais de 10 mil horas mergulhado no universo do Desenvolvimento Pessoal, Coaching, PNL… estudando e aplicando na prática os princípios de grandes nomes como Tony Robbins, Brian Tracy, Zig Ziglar, Jim Rohn, Napoleon Hill, Dale Carnegie, Peter Drucker, Stephen Covey, Tim Ferriss e tantos outros.
Este é um resumo, conciso e direto, que gostaria que alguém tivesse feito para mim lá atrás.
Ao longo dos capítulos, você irá aprender a desenvolver habilidades essenciais como: saber planejar estrategicamente seu futuro, definir metas, encontrar motivação, identificar seus talentos, aumentar sua produtividade, entre outras.
Meu objetivo aqui é bem claro: gerar uma mudança estrutural em sua vida para que possa iniciar um processo permanente de autodesenvolvimento que irá conduzir sua vida a um futuro totalmente diferente a partir de agora, repleto de prosperidade e realização em todos os sentidos.
Em suma, este livro foi escrito para ajudá-lo a:
• Extrair o melhor de si
• Caminhar com foco rumo a uma vida dos seus sonhos
• Gerar uma transformação rápida a partir de agora
Boa leitura!
 

Sobre o Autor:

Paulo Machado tem uma ampla experiência internacional. Morou no Canadá e na Itália, viajou por quase 30 países ao redor do mundo e fala fluentemente 5 idiomas.
Profissionalmente, ele começou sua carreira e trabalhou por muitos anos na Organização Mundial da Família (entidade filiada e intimamente ligada às Nações Unidas) onde alcançou o cargo de Chief Communications Officer.
Durante os 3 anos que morou na Itália, ele trabalhou diretamente com um dos maiores jogadores de todos os tempos do futebol mundial: Clarence Seedorf, no Milan, desenvolvendo toda a estratégia de marketing do jogador e contribuindo com o crescimento de seus negócios.
Além disso, Paulo é (muito bem) casado, pai da Giovana e da Sophia, estuda espiritualidade (admira e respeita todas as religiões), pratica exercícios físicos cinco vezes por semana (muay thai, futebol e musculação), toca violão e guitarra (é fã de Iron Maiden), adora videogame, séries, filmes e – é claro – livros!
É formado em Comunicação Social – Jornalismo, fez Pós-Graduação em Comunicação Empresarial, MBA em Marketing, cursou Letras na UFPR e tem formação pela Sociedade Brasileira de Coaching.
Saiba mais em: www.paulomachado.com